Pesquisar este blog

terça-feira, 30 de dezembro de 2008

E vem o ano novo!

Todos se preparando para fazer a contagem regressiva... quando chegada a hora!
Ele faz contagem regressiva para sair desse inferninho no meio da terra. Mas ainda tem mais esse resto de semana pela frente. E ele descobre que o último minuto do ano terá 01 segundo a mais... e mudou sua vida ao saber disso!
Então a gente começa a contar de trás pra frente, começando pelo onze... hehehehe, brincadeira!
É... morte e vida Severina! E ele ali numa lan house. Pega um computador bichado e passa vírus no msn e no orkut da galera.. que divertido!
Seria esse o primeiro karma de final de ano que ele passa? Meus Deus, como entrar no ano novo desse jeito? Vamos rezar, comer lentilha, pular ondinha, usar branco, jogar barquinho na água pra se ano que vem melhora.
Ao menos, ele tenta se divertir, caminhando sozinho por ruas sem nome (sim, a maioria não tem placa) e algumas ruas sequer asfaltadas são... mas ele caminha! Para onde, ele não sabe, apenas anda e se perde em seus pensamentos que o levam a lugares mais distantes e mais promissores do que onde ele se encontra agora.
Mas então, a realidade volta... ele volta para o mundo real, e passa a sonhar em poder viver na sua fantasia...
Ele espera que sim!

sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

Nossa! Super Natal ¬¬

Que Natal memorável. Ele já suspeitava que seria tudo de bom. Vejam as evidências:
1. Natal no litoral, programa de índio perfeito.
2. Os pais trabalhando demais na lanchonete, junto com uma das super irmãs.
3. Calor insuportável, pessoas fedidas e bêbadas.

É, o melhor Natal de todos os tempos. Na véspera de Natal, como tudo combinado, passariam na lanchonete, pois diz a lenda não teriam mais clientes (ele duvidou). Mas lá se foram, cheirosinhos, ele o cunhado I e a irmã (a casada com o cunhado I, claro!) e a pequena-grande criança. E ficaram esperando, esperando, esperando. Chovia, sinal de que ficariam somente eles e então poderiam fazer a ceia. Eis que a chuva passa, e o céu limpa e a lanchonete enche. E eles ficaram lá esperando e nada. Cada vez mais cheia a lanchonete, o plano foi por água abaixo. Ele até se esqueceu, já havia passado da meia-noite faz tempo, então ele somente se virou para irmã e foi a mesma coisa como se tivesse dito "meu cabelo é preto" ele falou:
-Feliz Natal.
E recebeu um obrigado. Levantaram, pegaram a ceia já gelada e levaram pra comer em casa, então ele, o cunhado I, a irmã e a pequena-grande criança comeram e foi um Natal super feliz. Nossa! Invejinha dos tempos que ele era criança e Natal ainda tinha espírito.
Então, duas Smirnoff Ice depois, ele resolveu tomar uma Bohemia que estava na geladeira de casa, não sei se estava bêbado ou apenas abobalhado, ele comenta com a irmã:
-Nossa, Bohemia é mais amarga que a Skol (pausa pra reflexão)... mas é mais doce.
Alguém entendeu? Nem eles. Apenas começaram a rir e não pararam mais.
Ah, claro! Ele ganhou duas camisetas maravilhosas e uma revista da Madonna, aquela da TAM. A melhor parte do Natal. Ele não é tão materialista, mas o que salvou a noite foram os presentes.

Agora vem o ano novo. Como será? Talvez ele se entregue para Iemanjá.

segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

E eu fui....

Eis que eu estava lá em SP, chegada a hora do almoço, e eu já nem acreditava que eu estava indo lá, para vê-la.
Dado 14h no relógio e sem mais nada pra fazer, resolvemos ir pra fila. E andamos, andamos, andamos e de repente avistamos altivo o Estádio do Morumbi. E eu ainda sem acreditar que tudo aquilo estava acontecendo.
A fila estava enorme, e andamos e andamos até chegar no final dela. E por incrível que pareça, as horas passaram muito depressa, quando eu vi, minha fila já estava andando e eu já estava dentro do estádio. Não foi sofrido ficar na fila como eu achei que seria.
Meu Deus, e quando chegamos para ficar na fila, estavam testando o som, e pude ouvir "Candy Shop" e em seguida "Beat goes on", já quase tive uma parada cardíaca ali mesmo, na fila.
Enfim, dentro do estádio, sentadinho, o negócio foi esperar dar 20h. E em ponto, começa o DJ Paul Oakenfold (espero ter escrito certo), ficou quase 1 hora tocando e ninguém se animando. Saiu sob vaias.
Então finalmente começaram a dar os últimos ajustes no palco, e meu senhor amado, quando as luzes do estádio apagaram, tudo veio abaixo. Eu já não ouvia mais nada, eu só gritava, só pulava, aliás, o estádio inteiro.
E quando o telão de Madonna acende, fazendo a fábrica de doces funcionar, e vemos aqueles telões se fatiando, e se movendo como se tivessem vida. E então, um deles gira e lá está ela, sentada em seu trono. Essa hora minha voz já tinha abandonado meu corpo, eu já não conseguia mais gritar, nem sei se aquela voz que saía de mim, me pertencia.
Eu gritei, cantei, dancei em todas as canções. Madonna perguntava coisas e eu respondia com toda a força que eu tinha, como se ela fosse capaz de ouvir pela distância que eu estava dela.
Foi um show perfeito, não porque sou fã, mas acho que até quem não é fã ficaria boquiaberto com a produção e a perfeição, tudo bem cronometrado, não parava de tocar música um segundinho sequer.
Em "Miles Away" eu não agüentei, e quando chegou no refrão da canção eu chorei! Chorei por lembrar de todos aqueles que eu amo e não estavam ali por perto, estavam miles away de mim.
E então, quando eu estava no ápice do meu momento, o show já tinha acabado, foram as duas horas mais curtas que eu já vi na minha vida. Passou tudo muito depressa e agora num piscar de olhos, já estou de volta à minha cidade.
Quero mais, quero de novo. Eu iria seguidas vezes, entraria em estado de falência, mas eu iria repetidas vezes, perderia minha voz e ficaria com dores na garganta mais vezes. Valeu a pena!

Amigos todos que estavam na torcida e expectativa, dancei e cantei por todos vocês, como pediram.

"I'LL BE YOUR ONE STOP, CANDY SHOP!!!"
STICKY & SWEET TOUR 2008... eu fuuuuuuuuui

sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

É amanhã!!!!

Ai meu Deus. É amanhã!!!!!
Estou praticamente em transe, não consigo pensar em mais nada, só nisso. Conto cada segundo, desejando que hoje já fosse amanhã, mas ao mesmo tempo quero que passe devagar para eu poder aproveitar cada minutinho e quisera eu que fosse pra sempre o dia de amanhã.



Cantarei, pularei, dançarei por todos que pediram e que não podem ir ao show. "voguearei", entrarei no "beat goes on", contarei os "4 minutes", viajarei por "La isla bonita", serei levado além do "Borderline", e "Give it to me" vou me divertir por todos nós!

Meu presente de Natal para mim mesmo:




fonte imagem: 3.bp.blogspot

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Muito feliz!

Quem inventou que o apego às coisas materiais é pecado, com certeza não tinha dinheiro pra comprar! Porque é muito booooooooooooooooooooooom!
Ontem para me alimentar mais esse consumismo que possuo, ganhei de presente de natal-da-amiga-secreta um livro e um DVD. Eu pirei! Duas coisas que eu perco o controle quando vejo nas prateleiras (a terceira são CDs).
Fui magnificamente presenteado com "A menina que roubava livros" e muito bem alimentado com o DVD "Na cama com Madonna" (artefato raro, sempre procurei e sempre esgotado).
Foram três surpresas, uma ao saber que ela tinha me pegado como amigo-secreto e duas ao abrir o pacote de presente.
E pensar que esse meu consumismo quase me fez duplicar esse meu dvd, ainda bem que ela estava junto e não me deixou comprar, disse que eu tinha que controlar meus impulsos. Mas por um triz eu não comprei "na cama com Madonna".
Viva o apego às coisas materiais, acho luxo! Viva o amigo-secreto que nos surpreende mesmo a gente tendo feito a lista de desejos!
Viva! Viva! E mais uma vez meu muito obrigado à você, dona Gê.

sábado, 13 de dezembro de 2008

I'll be your one stop!

FALTAM 07 DIAS!!!

Já não penso! Só ouço...

Créditos imagem: img2.timeinc.net

quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

Previsões

Às vezes esses horóscopos me assustam:

Nesta fase do ano você se torna ainda mais reservado e introspectivo do que já é. É como se você precisasse de certa reclusão para colocar alguns sentimentos e emoções em ordem para conseguir entender e levar adiante novos planos ainda embrionários. Dessa maneira acontece a transformação. (by Terra)

Como eles adivinharam que ando meio recluso? Eu hein....

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

Fim de ano

Já não se faz mais finais de ano como antigamente!

Onde foram parar os amigos, os bares, as risadas, as fofocas?

Onde foram parar os tios, o amigo-secreto, a família?

Onde foi parar o frio na barriga, a ansiedade pela noite do dia 24?

Onde eu fui parar?

Procura-se...

sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

preciso mudar mais...

Estou cansado!

Posso dormir por 365 dias sem parar?

Obrigado, me acorde em 2010.

Horóscopo by Terra:
"Através do amor e da alquimia profunda você começa uma nova fase em sua vida. As mudanças serão tão lentas que às vezes você nem se aperceberá delas. Mas certamente há algo acontecendo bem no centro de você. O estabelecimento de vínculos mais sólidos está previsto para esta fase."

Vai saber...

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

"Lady" Murphy

Ele sempre deixa seu celular no vibra call, sempre! Mas, como tudo pode acontecer, ontem a noite ele deixou com campainha e esqueceu de voltar o celular para o vibra call.
Acontece que hoje sua chefe pediu que fosse aos correios. E lá vai ele, só que deixou o celular no escritório e adivinhem só?! Sua chefe manda uma mensagem no seu celular. Até aí tudo bem, tudo tranqüilo, exceto pelo fato de que a campainha do seu celular para quando receber mensagens é a seguinte música: (fechem os olhos)

"tem uma mensagem na puta do telefone
tem uma mensagem na merda do telefone
tem uma mensagem na puta do telefone
Filho da puta é melhor "lê" lá agora!" (E pra ajudar ainda tem bis!)

Quando ele voltou a chefe disse: "Mandei um torpedo no seu celular", e ele se lembrou que tinha deixado o celular na campainha super discreta, e a chefe completou "e tocou uma musiquinha meio louca".
Ele morreu de vergonha e sua chefe riu, pediu pra tomar cuidado, pois poderia ter um cliente no escritório da próxima vez.
Se tivesse um buraco, ele tinha se enterrado! Ah tinha!

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

Hoje é dia de festa!


Ela detesta surpresas. Detesta recebê-las, mas fazê-las é seu hobby.

Como ele não é bobo, não fará surpresa para ela, apenas um post dedicado. Pois hoje é o aniversário da amiga-colega, a Gê. A amiga-colega que esteve tão presente nesses últimos momentos na vida dele, que fez papel de mãe, irmã, amiga, colega, conselheira e sempre dá uma mãozinha nas horas de aflição que ele venha a ter.

É uma data muito especial, devemos comemorar, mas ela tem a tradição de passar a data com a família e esse ano não poderia ser diferente (ou poderia?). Celebraremos o dia de hoje com parabéns à você nessa data querida, seja sempre feliz e que tenha muitos anos de vida!
Te desejo toneladas de chocoalte!
Crédito da foto: comunidade.cn

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Responda pra mim...

O que é amar?
Sentimento esse que parece ter se tornado tão banal. Falar "eu te amo" hoje em dia é tão normal quanto dizer "vai chover amanhã".
Mas, é possível a gente amar mesmo sem conhecer? É possível amar, mesmo que a gente se conheça há poucos meses? É possível amar, no real sentido, sem que pensem que estamos sendo banais?
Eu amo, tu amas, eles amam, nós amamos!
Para mim, amar é você gostar muito de alguém incondicionalmente, acima de todos os defeitos que você enxerga, e assim mesmo ainda manter muita afeição por alguém. Certa vez vi que se você não sofre, então você não ama. Pois o amor é como uma doença, que nos faz mal. Mas e quem disse que eu não sofro? Quem disse que não sinto aquele aperto no coração e morro de saudades quando ficamos sem nos falar? Quem disse que não sinto vontade de chorar ao pensar que estou sozinho aqui e uma distância nos separa? Quem disse que quando tenho vontade de sair, não acabo pensando se a gente poderia sair junto? E quem disse que já não enxerguei seus defeitos e mesmo assim, passo por cima disso tudo?
Então eu amo. O amor não tem data para acontecer, nem fórmula para seguir. Ele simplesmente acontece, ele te deixa feliz mas com dosagens de lágrimas e certa tristeza. Pois se você pensar em quem você ama, seja amigo, familiar ou seu amor mesmo, e você só sentir alegria, então, você ainda não sabe o que é amar!
Você sabe o que é amar? O que é amar?
Eu sei que eu amo.

E esse post dedico à todos os amigos (vocês sabem quem são vocês), familiares (idem) e à você (que também sabe muito bem quem você é).

Então bom natal (?)

♫ É natal, é natal,
Pega na minha rima...

E praticamente estamos em clima de natal. Casas enfeitadas, pisca-pisca no telhado, correria para comprar presentes para os amigos, familiares e amigos-secretos. Quem presentear? Quem fazer de conta que a gente esqueceu? Qual o nosso saldo bancário? hehehe...
Esse ano ainda não sei como será o meu natal, é o primeiro ano onde as coisas ainda não foram definidas com ao menos 01 mês de antecedência. As coisas estão mudando, já não se fazem mais natais como antigamente, onde nessa época, praticamente meu coração estava todo embriagado e contagiado pela alegria do natal que estava por vir.
A Madonna também é grande culpada, pois estamos todos focados nela e nem pensamos no depois, às vezes eu esqueço que, simplesmente, cinco dias após o show que irei já é natal.
Ao mesmo tempo que ainda consigo me contagiar com um pouco espírito de natal que resta, preciso passar por um dia triste: 23 de Dezembro. Data em que nos deixou meu avô, data em que ele resolveu se despedir eternamente e foi o último natal em que ele conseguiu reunir a família despedaçada, lá em 2006. Não posso negar que ainda me vêm lágrimas aos olhos ao olhar para o calendário e enxergar aquele número 23, bem ali, em dezembro. Será que eu poderia passar uma tinta em cima da data no calendário, ou proibir o dia 23 de dezembro de existir? Mas, bola pra frente, o show não pode parar.
Voltando ao tema desse ano: meu natal está todo desconfigurado. Já não vivo com meus pais, aliás, não vivo com mais ninguém. Nem minha irmã vive comigo mais. Sou eu e eu, um caso de amor eterno e sem danos! Existem propostas, uma delas é ir para um certo litoral e quem sabe fazer um biquinho em um certo restaurante. Mas, hein?! Ele quer férias, por favor!
Dezembro, Madonna e é a primeira vez que vai entrar em férias num emprego. Viva! Que final de ano interessante.
Presentes? Sinceramente, ele quer amigos, risos e festa. Sinceramente, ele quer reviver aqueles dias em que o natal tinha espírito.

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Diálogos II: no msn

L: Estamos livres da véia. O pai foi lá pegar os móveis que ainda estavam lá e o colchão.
R: E ninguém me avisou?! Queria ter me despedido.
L: Nossos móveis estão lá no tio.
R: Beleza!

É... finalmente, ele estão livres! Devolveram a chave do ap da véia. Seu pai pegou a estante do computador e a mesa de jantar e o colchão.
Agora mais um diálogo travado entre o pai deles e a véia:

V: Quer que eu desocupe os armários da cozinha também?
P: Não precisa, esses aí eu dei pra você. (com cara de desdém)

Viva!!! Pais iguais a esses que eles têm, não existem em mais lugar algum!

We are truly blessed.

Vegetem em paz... oh! Véia e MCDL!

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

O que é um hambúrguer?

Bem bem... estamos nós na lanchonete almoçando, no cardápio diz "Hamburguer". Uma senhorinha vem e pergunta:
- Como é o "ambúrgui"?
- É o pão com o hambúrguer.
- Mas tem queijo e...
- Não, somente o hambúrguer.

Bem, na minha concepção o hambúrguer sempre foi um amontoado de carne entre duas fatias de pão. Mas claro, eu encontrei uma explicação mais conceitual, segue:

O hambúrguer é uma espécie de sanduíche de carne picada (quase sempre bovina) e cozinhada (frita, grelhada, etc). Por ser geralmente servido entre duas metades de pão, formando uma sanduíche, é esse, por extensão, o seu significado mais comum. (Wikipédia)

Ou seja, sem queijo, sem presunto e sem salada. Se tivesse queijo, seria Cheese-Burguer (que "abrasileirando" ficou X-burguer), se tivesse queijo, presunto e salada seria X-salada. Sendo assim, minha senhora, um hambúrguer [ou como a senhora prefere chamar "ambúrgui"] é somente carne no meio pão, se quiser firulas, peça outro tipo de sanduíche-iche.
Sem contar que ela deve ter pensando que os atendentes fossem surdos ou coisa parecida, pois reclamou do tamanho da sacola - "pois é uma sacolooooona" - algumas vezes seguidas!

Aproveitando o momento descarrego. Peguei o coletivo hoje com a Amy Winehouse. Era um ser de cabelo pixaim na cor vermelha usando uma maquiagem estilo Amy, achou que estava arrasando. Meu Senhor, eu peço, dai noção ao ser humano, deixe-o com o bom senso para que consiga discernir dentre o que é bom de usar e o que é ridículo no dia-a-dia. Amém.

sexta-feira, 21 de novembro de 2008

Diálogos I

ELE: Alô?
A VÉIA: Oi! Quando vocês vêm buscar o resto das coisas?
ELE: Não sei.
A VÉIA: Ahn...
ELE: Estamos vendo um frete ainda - (que mentira! pensou ele)
A VÉIA: Se quiser tem uma kombi que fica aqui na portaria.
ELE: Não precisa, já estamos vendo isso.
A VÉIA: Então se vierem nesse sábado dá pra ser de manhã?
ELE: Não sei, tenho que ver com minha irmã.
A VÉIA: Ah tá bom.
ELE: Tá! Tchau.
A VÉIA: Tchau.

Segunda parte
A MATRIARCA: Sua tia ligou enchendo o saco né?
ELE: É, queria saber quando vamos tirar a estante de lá.
A MATRIARCA: Amanhã, se der tempo, eu ligo pra ela dizendo pra sossegar o facho! Que fique quieta.
ELE: Beleza!

Isso que é mãe hein.

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

TIC TOC TIC TOC...

Contagem regressiva! Falta exatamente 01 mês para ver a fantástica fábrica de doces da tia Madge funcionando aqui na terra tupiniquim.
Vamos "voguear" até cair, até os ossos não suportarem mais, até os musculos gritarem o pedido de "pare!"


"MUSIC MAKES THE PEOPLE COME TOGETHER... AND NEVER WANNA STOP!"


"Come on into my store"


Sim sim... não posso mais esperar, apesar de minha ficha ainda não ter caído, já não tem dia que eu deixe passar em branco, sem pensar no show. Só acreditarei vendo! I'm out of breathing! Parece que em todo canto que eu olho, enxergo Madonna escrito. Se alguém me diz alguma palavra qualquer, me vem a mente uma canção de Madonna e se me dão chanve começo a cuspir as palavras e praticamente despejo uma enciclopédia Madônnica em cima das pessoas. Porém, ainda consigo me controlar, consigo debater outros assuntos a não ser esse... (será?).


"We only got four minutes to save the world"
"On and on and on the beat goes"
"It's incredible"


Prometo [tentar] voltar são e salvo.

Créditos das fotos:
94fm
hauteconcept
ego
mnmedia.musicnation

Não agüento mais esse coletivo

Passarei a andar com uma marreta. Ficou tocando celular em alto e bom som no ônibus... pof! Já era! Foi por isso que inventaram os fones de ouvido, ninguém é obrigado a escutar suas músicas. Mas ao mesmo tempo, existem os surdos, que ouvem com fones mas até parece que estão sem. ODEIO GENTE SEM NOÇÃO! MORRAM.. MORRAM!
O pior de tudo, é quando estão ouvindo um tal de funk nesses celulares de merda em alto e bom som e tem gente cantando junto O.o (valeimenossasenhora). Os vileiros em algum ponto do ônibus ouvindo e as chicks vileiras em algum outro ponto do ônibus cantarolando o funk!!!!! MORRI, ALGUÉM ME ENTERRA?
Hoje pela manhã, a mesma porcaria, celular em bom som para todos, e o jumento portador do mobile não sossegava em canção alguma, ficava mudando e mudando e mudando. Quando parou, veio ao meu lado um surdo com seu fone de ouvido, pude ouvir a respiração do cantor! INFERNO!!!!!!
Então resolvi olhar a paisagem e me deparo com um restaurante ou lanchonete chamada "Bife em pé"! Curiosidade pra saber como deve ser esse bife. E não pude deixar de lembrar de um outro local que eu passava em frente chamado "Bife sujo", eu nunca quis comer lá (não sei bem a razão).
Depois do surdo, ao meu lado encontro um casal sem noção, em cada curva eles praticamente caíam em cima de mim!!!! Custa se segurar na p%$# do ferro?! Que porcaria.
Finalmente, consegui chegar no meu trabalho, com o pouco de humor que me restou. Felizmente, já aprendi a separar as coisas, no ônibus aconteceu e no ônibus morreu!

terça-feira, 18 de novembro de 2008

Mother & Father

Falta pouco mais um mês para eu assistir "O Show". Vamos agora prestar atenção em mais uma letra de conteúdo de Madonna (saudades dessa época). A música da vez é "Mother & Father", ela fala abertamente sobre seu pai e sua mãe (ou como é não ter mais sua mãe). Para quem quiser ouví-la, é uma canção do álbum American Life (que foi boicotado nos EUA), mas é um álbum muito bom, quando Madonna ainda fazia letras com conteúdo, podemos dizer, interessante:

Houve uma época em que fui feliz na vida
Houve uma época em que eu acreditava que viveria para sempre
Houve uma época em que eu rezava para Jesus Cristo
Houve uma época em que eu tinha uma mãe, era legal
Ninguém mais poderia tomar o seu lugar
Ninguém mais poderia fazer as coisas que você fazia
Eu acho que ninguém mais poderia me magoar como você
Eu não entendi eu era apenas uma criança

Oh mãe, por que você não está aqui comigo?
Ninguém mais viu aquilo que você podia ver
Eu tento secar minhas lágrimas
Sim pai você sabe que eu não sou tão livre

Eu tive que desistir
De encontrar alguém pra me amar
Eu tive que esquecer
De encontrar alguém de quem eu pudesse tomar conta

Minha mãe morreu quando eu tinha 5 anos
E tudo que fiz foi me sentar e chorar
Eu chorei, chorei o dia todo até os vizinhos partirem
Eles nao podiam tirar minhas solidão
Eu não podia entender a falsidade deles
Meu pai foi trabalhar, eu achava que ele era um imbecil
Eu não entendia que o coração dele estava partido
E nenhuma palavra foi dita
Ele se tornou a sombra do pai que eu sonhava.
Eu jurei que jamais precisaria de outra pessoa na vida
Aprisionei meu coração em uma cela, uma vítima do ódio

Eu tive que desistir
Eu tive que desistir

Histórias em um coletivo [O fiscal e o passageiro]

Eu sempre me perguntei qual a utilidade dos fiscais da URBS (Urbanização de Curitiba) dentro das estações-tubo todos os dias pela manhã.

O ideal seria, se eles auxiliassem no caos embarque/desembarque dos passageiros, mas ao invés disso, eles mais atrapalham. Seja empurrando o pessoal pra dentro do ônibus, seja mandando o motorista fechar as portas na nossa cara. Hoje tive mais uma prova de que eles atrapalham.
Chegando lá na estação, hiper-ultra-mega-blaster lotada (e o ônibus mais ainda), o pessoal não conseguia nem embarcar nem desembarcar, mas com calma tudo estava indo, então ele ouviu um passageiro gritar lá na frente do bus:
- PESSOAL TÁ DESCENU!!!!
Então ele viu, que o passageiro discutia com um fiscal, a parte do fiscal estava inaudível, mas o passageiro, ele escutava bem:
- CALMA! PESSOAL TAMBÉM TÁ DESCENU! [...] QUE IR PRO FUNDO O QUÊ?! QUE IR PRO FUNDO O QUÊ?! JÁ TÔ NESSA PORTA E VOU DESCER POR ELA!!! [...] NÃO DÁ PRA IR PRO FUNDO!!! [...] Ô MANÉZÃO, VEM ME EMPURRAR AQUI! HEIN MANEZÃO?! VEM ME EMPURRAR!!!
Eu não conseguia ver muita coisa naquele mar de gente, mas pude notar que mais uma vez o fiscal tentava entulhar seres humanos dentro do ônibus, eles empurram mesmo, não querem nem saber, você está com metade do seu corpo pra fora e eles mandam o motorista fechar a porta. Daí já viu a situação!
Êta lele... e FICA BETO!!! Dá-lhe reeleição e 'bora fazer metrô!


Crédito foto: christiangump.net

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Recesso forçado....

"Pôxa"! Onde foram parar os "causos" que costumavam habitar este blog? Está parecendo tablóide sem fofoca, celebridade sem paparazzi.
Talvez em algum canto, um roteiro esteja sendo preparado para dar mais vida a este lugar, alguma história cômica há de surgir no horizonte!

quinta-feira, 13 de novembro de 2008

Saudade

E não tenho mais motivos justificáveis para ouvir canções tristes e lágrimas correrem o meu rosto.
Se elas teimam em correr, é por saudade de um momento que vivi e saudade é sempre bom.
Queria voltar no tempo para curtir certos momentos de novo, mas sem me prender ao passado.
O que passou... passou! A saudade fica, ela é combustível, pois comprova que estamos vivos e curtindo a vida com coisas boas!
Saudade é necessária.

A resposta!

Finalmente encontrei as respotas para as minhas perguntas > http://robermyself.blogspot.com/2008/03/respostas.html

Na verdade, foi uma resposta que definiu tudo. Clareou minha mente e tirou um peso das minhas costas e um pesadelo da minha consciência.
Eu não sabia como agir, me sentia incompleto, sentia que eu precisava mostrar tudo o que eu tinha que mostrar, quando na realidade, você já sabia tudo o que eu tinha pra mostrar e eu achava que era o fato de você não acreditar em mim.
Não foi tudo brincadeira, agora sei que foi verdade e que foi bom! Foi eterno enquanto durou! E também sei que o fim foi por uma razão menos dolorida do que pensei que fosse.
Agora tudo está respondido, tudo está mais leve, realmente posso continuar o que eu estava fazendo, sem culpa, sem tentar provar mais nada. Posso continuar vivendo e sei que viveremos!

quarta-feira, 12 de novembro de 2008

And I feel...

"AND I'LL REMEMBER..."

"Say which flavor you like, and I'll have it for you"


Falta pouco mais de 01 mês para o espetáculo. Coração disparado, ainda incrédulo. Somente quando eu estiver dentro daquele estádio e começar a ouvir as batidas de Candy Shop é que de fato acreditarei que estou em seu show!

"I'll be your one stop"

Pra alegria geral da nação, ela vai fazer um remake de Vogue, com samples de 4 Minutes. Ouvi um pedacinho da canção e acho que infartarei de tanto dançar.

"Let your body move to the music, let your body go with the flow"

Claro que todos gostariam de ouvir suas clássicas, mas Madonna não costuma se repetir. Se bem que ao mesmo tempo em que diz isso, ela criou a tradição de cantar Holiday em todos os shows. Só que agora, parece que a tradição chegou ao fim. O máximo que conseguiremos será uma a capella. Madonna vem cantando trechos de clássicos em cada show. Os italianos ganharam Like a Virgin, os americanos de Los Angeles ganharam Dress you up.

"Just one day out of life, it would be so nice"

Eu gostaria muito de ter ido a Confessions Tour, acho que eu teria morrido e ressuscitado e morrido de novo. E tenho muita curiosidade com a Re-Invention Tour onde ela promoveu seu American Life, que foi um cd mal compreendido, assim como Erotica. Agora só no DVD, e isso se a amiga Warner cumprir o que disse: que ano que vem teremos Re-invention Tour DVD. Eu espero e rezo que sim.

"Do I have to change my name? This type of modern life is not for me"

A fase Erotica, minha favorita. Quebrando tabus, chocando, delirando, curtindo e aproveitando. As pessoas são muito hipócritas e cegas, todos fazem, todos têm, todos usam. E ela só mostrou ao mundo isso: Todos gostam! Se ouvirem o álbum, a coisa mais erótica além da faixa título e a capa do cd, pois seu conteúdo é muito bem colocado com letras inteligentes e até de protestos. Vale a pena! Muito a pena. (Eu queria que tivesse uma fase bem Erotica nesse show).

"All over me"

Claro que torci o nariz para Hard Candy, mas você precisa de paciência e ouví-lo muito mais que uma vez só. Aprendi a gostar desse cd, e mais ainda, Madonna teve um propósito ao fazê-lo (meio bobo, mas enfim). Só que o cd não saiu um cd para ela pagar de gostosa e ficar rebolando, como era a moda, com letras do tipo "pega na minha..", "passe a mão no meu corpo", etc. Ela colocou todo o seu toque madônnico e nos deu faixas brilhantes como Devil Wouldn't Recognize You, Beat Goes On e o hino (pelo menos pra mim) Give It 2 Me! Letras que falam sobre dançar, amor, traição, enfim. Realmente, esse cd é um doce duro, muito duro, mas que deixa um gosto açucarado em nosso paladar ao final!

"If it's against the law arrest me. Give it to me, no one's gonna stop me now!"

Créditos das fotos:
estrelasnaparede
imotion
papelpop
tramafotografica
clicrbs
dionisioleitao(photobucket)

Histórias em um coletivo

A mulher começa a olhar como se incomodada com algo. Ele virado num "S" dentro daquele aperto, então uma senhora que estava ao seu lado disse que para a mulher incomodada:
-Não adianta ficar olhando pra trás não, está tudo apertado, acaba empurrando mesmo.
E a mulher incomodada:
-Você tá ouvindo alguma coisa?! - disse para sua amiga.
-Não - a amiga respondeu cinicamente.
-Agora então vou começar a andar só olhando pra frente, não pode mais olhar pra trás!
E ele ali esperando uma chickfight, mas nada aconteceu. Já não estava num dia legal e ainda enfrentar esse coletivo hiper lotado não ajudou muito a melhorar seu humor!
Fica Beto! E faz a gente de besta mais quatro anos!

segunda-feira, 10 de novembro de 2008

Hope I live to tell...

"Eu tenho uma história pra contar
Às vezes fica tão difícil de escondê-la direito
Eu não estava preparada para a queda
Cega demais para conseguir enxergar o que estava escrito no murro

Um homem pode contar mil mentiras
Eu aprendi bem minha lição
E espero viver para contar o segredo que aprendi
Até então ele estará queimando dentro de mim

Eu sei onde a beleza mora eu a vi uma vez
Conheço o calor que ela dá
A luz que você nunca conseguiria enxergar
Brilha lá dentro, você não pode tirá-la de mim

A verdade nunca demora a aparecer
Você a manteve bem escondida
Se eu viver para contar o segredo que eu sabia,
Então será que terei essa chance novamente?

O segredo que eu escondo será que vai esfriar?
Será que vou envelhecer?
Como eles poderiam escutar?
Quando é que eles vão aprender?
Como eles vão saber?"

Isso é humanidade?

Eu ainda não consigo me conformar com a brutalidade do (se é que podemos chamar assim) ser-humano. Talvez, por opção e/ou inconscientemente, eu tenha me alienado do mundo dos telejornais e mesmo com internet, procuro coisas fúteis para me entreter e esquecer da crueldade nesse mundo.
Sem querer, ontem descobri que essa semana, uma criança de 09 anos foi assassinada e deixada dentro de uma mala na rodoviária aqui da minha cidade. Fiquei chocado com a brutalidade. E mais chocado ainda ao saber que a menina Rachel estudava no mesmo colégio onde eu passei sete anos da minha vida. Talvez, ela até fizesse o mesmo trajeto que eu para tomar o ônibus e ir pra casa. Talvez, pudesse ter sido eu.
Após ler a notícia, inexplicavelmente, senti um vazio tremendo e questionei esse mundo besta! Pra onde iremos? E o que vamos fazer amanhã? Pra que estou aqui hoje? Qual o fundamento disso tudo? Pois num piscar de olhos, alguém pode interromper sua respiração, fazer seu coração parar de bater, te colocar à sete palmos e dar um ponto final em você.
Sei lá, apenas me senti muito vazio.

sexta-feira, 7 de novembro de 2008

Vida!

Ser dono de casa não é fácil! Lavar roupa, limpar a casa, comprar comidinha gostosa, pagar contas, ir pro trabalho. Nossa!
Saudades dos tempos do colinho da mamãe, de pedir pro pai comprar caderno novo pra escola e de ajudar a mãe com pequeninas tarefas caseiras, como por exemplo, tirar o pó da estante.
Agora tudo está diferente, o tempo de criança passou e ele precisa crescer (ou será que ele já cresceu?). É a primeira vez que ele vive sozinho, pois da vez passada não conta porque tinha a aspirante a encosto vivendo junto. A única vantagem da vez passada era a de que eles tinham praticamente uma empregada em casa e não precisavam pagar salário, uma vez que, eles pagavam todas as contas pro quase encosto viver de barriga pro ar. Mas chega de falar disso.
Na vida nova ele agora aprende novamente a viver no mundo adulto, tentando ser responsável, mas ele não quer perder toda sua infantilidade que o ajuda a sobreviver no mundo cão, por todos esses anos. Ele não quer perder seu espírito de criança, vai achar um meio-termo, e conseguir equilibrar essas duas almas que o habitam: a criança e o adulto.
Hora de brincar sério de casinha. Hora de mostrar ao mundo que você cresceu! Ou tentar mostrar ao mundo que não precisa levar a vida tão a sério, que existem momentos de pura diversão, sem pensar no dia seguinte.

quarta-feira, 5 de novembro de 2008

Complete: Quem tudo quer...

Pois então, a aspirante a encosto tinha uma meta: viver às custas deles coçando a prixiquita enquanto eles ralam e ralam e pagam tudo.
Agora, eles saíram e as contas ficaram pra ela. E também está ficando sem metade dos móveis, três colchões, um chuveiro e um aquecedor.
Ele daria tudo pra voltar àquele apartamento (mentira) só pra ver que tudo está bem vazio.
Bem feito pra essa chuchu podre, achou que iria levar ouro e no fim está comendo terra. Boa sorte aí, que você consiga comprar muito DL para a MCDL, ela está crescendo (a pança também) e o apetite voraz, por tudo o que vê pela frente e é de comer, também.
Ele só tem a dizer para a aspirante a encosto: sinta-se em casa!

segunda-feira, 3 de novembro de 2008

Home sweet home

Começa o mês e coincidentemente começa uma nova vida.
Foi praticamente uma operação de guerra. Na calada da noite tudo o que era possível de se guardar, eles guardaram. Ele ainda se lembra de ter olhado no relógio que marcava 05h38AM de sábado, e se encontrava ali, desmontando uma prateleira no seu quarto. Foi até a geladeira e pegou a jarra que a mãe da MCDL usava sem parar, tirou todo o suco dela (horrível por sinal) e jogou em outra jarra (que dessa vez pertence a ela), pegou também os copos que viviam circulando, que também eram deles.
Ele enfim adormece, e a última vez que olhou no relógio, já eram 06h40.
Sua irmã o acorda às 15h, ele levanta, e então começam a organizar o que vai e o que não vai nessa viagem. Por ser pouca coisa, chamaram a outra irmã e o marido para levarem de carro as coisas. Foram duas viagens. Ainda ficaram coisas pra trás, mas eles pegam essa semana.
Chegando ao prédio novo, entram pela garagem, uma mala gigantesca (capaz de abrigar um corpo ali dentro) cheia de roupas da irmã; e mais inúmeras bolsas menores com roupas dele e afins. Vindo pela garagem a irmã se confunde e entram no elevador errado.
Eles chegam ao andar que seria o certo:
- Então, a gente vai ter que atravessar um corredor porque pegamos o elevador do outro lado. – disse a irmã.
- Aham. – ele responde.
Então a irmã desce do elevador, ele fica segurando a porta:
- Veja – ela explica – essa é a porta, você atravessa e tem outra pra passar, e então você vai enxergar a porta do nosso apartamento.
Nisso ele vê a irmã sumir depois da porta se fechar. De repente a porta se abre e irmã com uma expressão desesperada no rosto (ele pagaria tudo para rever a cena):
- Não é nesse bloco, cara. Estamos no bloco errado. Eu fui direto à porta e olhei, e opa, não é aqui.
- E agora?
- Teremos que voltar ao térreo e ir para o outro bloco.
Descendo no térreo, eles partem ao outro bloco, um corredor estreito e cheio de curvas. Ele arrastando aquele malão que parecia que continha um cadáver e ela levando um carrinho que parecia de compras, com o resto das coisas. E eles iam, iam, iam, passaram pessoas por eles. E chegaram ao elevador certo. Ufa!
Adentraram ao seu lar doce lar. Brindaram com caldo cana e limão, ele, a irmã, o cunhado I e a outra irmã. Brindaram a nova casa, nova vida, o novo começo.
E à noite ainda teriam a festa de Halloween. Como é bom ser livre.




Crédito da foto: pasquale.xurumelas.com.br

sexta-feira, 31 de outubro de 2008

Halloween

Hoje Dia da Bruxas. E ele vai se livrar de uma Bruxa, mas se bem que seria uma ofensa às bruxas, pois aquilo lá nem bruxa é. Aquilo é um encosto. Mas seria maldade com os encostos também.
Ahhhh aquilo lá é uma nada! Um tropeço no meio do caminho. Mas que ele conseguiu se desvencilhar, graças aos céus.

Vamos comemorar, beber sangue do morto, dar um tiro no lobisomen e prender um morcego numa teia. Hora de sair com os fantasmas e ficar bêbado com a mula sem cabeça.

É a noite fantástica e cheia de mistérios... um portal para um recomeço

quarta-feira, 29 de outubro de 2008

contagem regressiva

Dez! Nove! OitoSeteSeis! Cincoquatrotrêsdoisuuuuuuuuuuuuum! Bom dia amiguinhos já estou aqui... [/Xuxa]

Sim, em espírito de contagem regressiva. Em pouco tempo, em poucos dias ele e a irmã finalmente brincarão de casinha em paz. A casinha que eles acharam que teriam esse ano. Nem Gugu, nem portas da Esperança, nem Luciano Huck foram capazes de conseguir esse feito da casa só pra eles.
A parte legal é que irão mudar aos pouquinhos, pra não levantar as orelhas de lebre da mãe da MCDL. Elas nem sonham que eles vão partir e coitadas, ainda tem utensílios domésticos que elas juram que são delas, mas não! Tudo deles! Vão levar tudo e agora MCDL e sua mãe terão o teto só pra elas, o condomínio e a luz pra pagar. Seja feliz dona mãe da MCDL, qual vegetal você escolhe? Eu prefiro Chuchu, que não tem gosto de mer%$%& nenhuma e não acrescenta nada no prato que for colocado. Ou seja não fede nem cheira.

Liberdade! Vejo vocês na minha casa nova [digo, ap].

terça-feira, 28 de outubro de 2008

continuemos a comemorar!!!!!


Crédito da foto: postais.net

O que é um amigo?

O que classifica um amigo? Quais os critérios necessários para que se tenha uma amizade?
Para mim, amizade é a troca de sentimentos entre duas ou mais pessoas, é a companhia que um pode fazer ao outro e que quando distantes fazem falta. Um amigo pra mim, não precisa saber dos meus segredos mais profundos (mas quando sabe é o amigo mais íntimo), mas um amigo precisa me fazer sentir sua falta, precisa ser necessário em minha vida, precisa acrescentar algo.
Agora, por que não os amigos virtuais? Por que eles não podem ser considerados meus amigos? Tudo o que citei acima, meus amigos virtuais são capazes de causar em mim. Alguns até sabem meus segredos mais profundos, todos me fazem sentir sua falta, todos acrescentam algo em minha vida. Incrivelmente, mesmo os quilômetros que nos distanciam não são capazes de nos apagar da memória.
Com raras exceções dos amigos presentes em carne e osso, os amigos virtuais foram os únicos que estavam lá quando eu mais precisei. Foram os únicos que me ouviram, me responderam, se entristeceram por mim, choraram comigo, se preocuparam comigo e sorriram também.
Minha única fuga, quando eu olhei ao redor e não tinha para onde correr, foi só dar um clique, e eles estavam ali. Parecia que me esperando.
Por mais superficial que os outros possam achar da palavra “virtual”, quero dizer que ela não tem tanto valor pra mim, pois o que conta é somente o que vem antes dela: “amigo”. Vocês sabem exatamente quem são vocês, e sou eternamente grato pela companhia que me fazem, pelas conversas horas sem fim e pela falta que sinto de vocês quando fico longe da internet. Tenho a sensação que já nos conhecemos ao vivo e que no momento tivemos que nos separar, cada um em uma cidade e que nossa comunicação ficou restrita à internet.
As pessoas não dão valor ao “virtual” do contexto, mas eu dou muito mais atenção ao “amigo” do conjunto de palavras. Uso o virtual, apenas para deixar entendido que somos separados por determinada distância.
Tenho amigos reais que viraram virtuais, e o pior é que ainda moramos na mesma cidade.
Então, creio que uma amizade não possa ser medida apenas pela presença física, mas acho que uma amizade vai muito além desses conceitos pré-concebidos pela sociedade. Amigo é aquele que você considera seu amigo e ponto final!


crédito foto: postais.net

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

"Mil felicidades que a sua vida seja sempre doce e emoção..."

Para ler ouvindo: Happy Birthday

Ela me acorda quando estou sem despertador
Faz um DDD e não me deixa perder a hora
Ela ouve (lê) sem cansar toda minha novela italiana
Ela concorda com qualquer que seja o final
Está ali disposta a ouvir (ler) todas as minhas queixas
Pois essa novela é comprida
Ela me faz companhia de madrugada
Fala o melhor "bom dia" que alguém pode ouvir

Agora é seu aniversário
Desejos de felicidade e sucesso não são o bastante
Mas desejo do fundo do coração que a gente dure pra sempre
Que agora seja o comecinho de uma vida eterna de amizade
Parabéns Má!

Te dedico a linda canção que você me apresentou outro dia: http://br.youtube.com/watch?v=uHOm2qhf58g

"Qué lindo que es soñar! soñar no cuesta nada, soñar y nada más… con los ojos abiertos,
Qué lindo que es soñar! Y no te cuesta nada más que tiempo…"

[Mais um] Fim de Semana na Mata

Dessa vez, sem "ômi seu minino!". Eles foram para a Mata e se Deus quiser, será um dos últimos finais de semana passados na mata.
Pode ser que daqui algumas semanas, eles comecem a passar seus finais de semana num lugar mais asfaltado, à beira-mar (que os anjos nos ouçam e digam amém).
Na hora de ir embora da mata, foi algo tão estranho para ele. Sua mãe deu tchau e já entrou em casa, seu pai tentou disfarçar com um sorriso. Estariam eles querendo chorar?! Entendemos que agora eles enfrentam uma situação delicada, ambos estão com problemas que precisam ser resolvidos. Os pais preocupados com eles e eles preocupados com os pais.
Se a despedida fosse um pouqinho mais longa, talvez as lágrimas não pudessem ser contidas, talvez elas tivessem caído sem controle por seus rostos.
Mas tudo dará certo, dessa vez ele sente que tudo está se encaminhando e finalmente suas vidas começarão a andar, mas dessa vez, pra frente.
Amém!

sexta-feira, 24 de outubro de 2008

falta de noção... é viral?

A falta de noção impera em algumas pessoas. Pra começar, durante o almoço, na fila do famoso "Buffet", uma toupeirinha se fazendo, iria furar fila na boa. Claro, que ele não deixou! Então a touperinha e seu amigo terninho ficaram atrás dele e da amiga/colega (pois ele não conta seus segredos). Logo a pérola da touperinha:
- Nossa! Acho que só esse prato pesa 100g.
Ainda bem que o amigo foi explicar que num buffet, eles descontam o peso do prato né?! Mas ele não podia conter o riso, ele estava às gargalhadas em seu interior, ô toupeira.
Na mesma fila, o funcionário vem e troca o feijão, leva uma panela cheia e devolve outra cheia. Ele pergunta (em tom de brincadeira) para a sua amiga/colega:
- O que será que eles fazem com todo esse feijão velho? Jogam fora?
Ele espera profundamente que o "dã" vindo da boca de bode do amigo terninho não tenha sido pra ele. "Cuida da tua vida cara!", mas ele não respondeu, primeiro porque ele não tinha ouvido e segundo que ele não é de dar vexame.
Mais a frente, uma senhora vinha na contramão. Chegou toda gostosa peitando todo mundo e pegando as comidinhas, mas tudo isso atropelando já que ela estava vindo em sentido contrário! Será que é tão difícil assim perceber qual o sentido da fila do Buffet? Tipo assim, todas as pessoas estava caminhando e viradas para o mesmo lado, por que a dona Anta tinha que vir contra eles? Enfim.
Eles foram se sentar. Passado uns minutos, senta ao seu lado uma moça e mais duas senhoras. Antes, a moça pede para a funcionária para trazer copos. Se aqueles copos fossem mais frágeis, teriam rachado, pois a mocinha funcionária bateu o copo na mesa de tal forma, que só por Jesus o copo sobreviveu. Vale lembrar que nesse buffet não existem garçons. O pessoal ali, está trabalhando apenas para limpar as mesas quando as pessoas partem. Eles não estão ali para trazer copos à mesa. É só levantar o rabão e pegar, é fácil, simples e indolor!
Mas como tem muita gente nesse mundo, folgada e sem noção, nós continuamos assim nesse mundo cão.

quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Secret rendez-vous (parte I)

Ele, a Gê (mandante), a Mandy, a Polly, a Vá e a Margie. Quadrilha montada e arquitetando um plano perfeito: uma surpresa de aniversário. (viva!!!)
Tudo deveria ser ao menos perfeito, uma vez que a homenageada seria ela, a poderosa, que vive no céu: a Chefa.
Primeiro era preciso saber dos compromissos dela no dia, para pensar num horário certo para fazer tudo. Depois, descobrir seu gosto culinário, para saber o que comprar pra esse rendez-vous. E ainda por cima, o que dar de presente.
Falando assim, até parece que eles passaram praticamente um mês e meio analisando tudo nos seus mínimos detalhes. Errado! Eles chegavam a comentar sobre o assunto, mas nunca chegavam a conclusão alguma. Resultado: tudo para véspera, ou melhor, para o dia do aniversário!
Na véspera, a Gê liga para ele, querendo saber o que vão fazer no dia seguinte. E ele parecendo um disco riscado repete “não sei o que fazer”. A idéia inicial era tirar a Chefa do “céu” e levá-la ao “purgatório” (local da festa) e para isso Gê iria passar mal, e com isso a Chefa seria atraída ao local do abate. Hehehehe
Final daquele dia, ele iria descer para confabular essa história, mas, não é que a Gê passou mal de verdade e foi embora mais cedo?! E agora José?
No dia do aniversário, logo pela manhã ele recebe a ligação da Gê:
- Fui embora mais cedo ontem.
- Eu soube, você está melhor?
- Estou. Mas então, o que a gente vai fazer? Como está a agenda dela?
- Está com o dia cheio, só pausa para almoço.
- E agora? O que a gente faz? Será que levo um bolo?
- Acho que sim, mas, qual bolo?
- ....
- ....
Em algum momento eles desligaram o telefone sem nada definido. Em seguida Mandy aparece online e ficam os três conversando ao mesmo tempo: ele com Mandy no MSN que por sua vez estava com Gê ao telefone. Um leva e traz danado.
- Então o que vamos fazer? – diz Mandy.
- Não sei, tente falar com a Gê. – ele responde.
- Tô no telefone com ela. Até que horas Chefa trabalha hoje?
- Até 18h30min.
- E amanhã? Será que dá?
- Amanhã estará fora o dia todo praticamente.
- E sexta?
- Sexta-feira cheia, assim como o dia de hoje. E hoje só temos livre do 12h até 13h30min. Será que não dá pra ser sábado?
- Ela vem aqui sábado de manhã, mas nesse sábado não iremos abrir a loja.
- Ai que droga.
- Então vai ser hoje às 12h.

Secret rendez-vous (Final)

O horário estava definido e só faltava uma maneira de levar a Chefa até a loja no térreo. Tudo certo e planejado: ao meio-dia, todos subiriam da loja para dar os parabéns e levá-la para baixo como quem não quer nada e fazer a surpresa. Mas como nem tudo que reluz é ouro, a Chefa termina o seu atendimento às 11:24, ele mais que depressa pega o telefone pra ligar para Mandy e no mesmo momento Chefa pega a extensão para fazer uma ligação. Ufa, por pouco, imagine se ela os pega falando? Por fim, ele conseguiu avisar a Margie sobre o antecipado da hora. Ele tinha que tentar segurá-la ali em cima até meio dia. De repente, abre a porta, com a bolsa pronta pra sair, praticamente dando tchau. Por sorte, ele tinha alguns recados para dar, mas eram só dois e mínimos.
Recado dado, então foi a vez dela lhe passar uma tarefa (ele pensava, isso continue falando, devagar, assim o tempo corre). Mas nada, ela tinha terminado de falar e ele nem dúvida tinha para ficar perguntando (e não tinha como, estava tudo muito explicado). Em último caso, ele entregou seu presente à ela, antes da surpresa, mas ao menos iria segurá-la. E por fim segurou. Olhando para o relógio, já marcava 11:57. Ufa, ganhara tempo. Cadê essas meninas?!
E virada num foguete, a Chefa passa por ele dando tchau e ruma até a porta, se vira, faz mais uma pergunta e se manda! MEU DEUS DO CÉU E AGORA?
Ele corre ligar para Margie e Mandy avisando:
- Ela desceu, tentam pegá-la no elevador.
- Mas não era para ela descer – disse Margie.
- Eu sei, mas eu não consegui mais segurar.
Após alguns segundos a Gê liga para ele e pede que desça. Em seguida, uma confusão só. Mandy corre até o estacionamento, virada numa doida atrás da Chefa. Vai ao piso errado e precisa se apressar para chegar ao piso certo. Por sorte, como tinham convidado o filho da Chefa, que chegou com o carro bem na hora e travou sua saída, nisso Mandy consegue alcançá-la:
- A Gê tá passando mal.
- Mas como? Eu acabei de falar com ela! – responde a Chefa.
- Mas, ela tá muito mal.
(Estranho...)
Nisso, Margie liga para o celular da Chefa (sem saber que Mandy a tinha alcançado) e diz:
- Chefa, chegou uma encomenda que só você pode receber e precisa assinar.
Deus, que zona! Cada uma contando uma história, Chefa estranhou muito, primeiro que seu filho estava entrando naquele estacionamento quando ele tinha o estacionamento do SEU apartamento para deixar o carro. Segundo que cada funcionária estava contando uma história diferente. Chefa já desconfiou, mesmo assim ela foi até a loja para ver do que se tratava. Nisso, ele e a Gê estavam escondidos em uma salinha e assim que ela chegasse ao local do comes e bebes, eles apareceriam e cantariam parabéns.
Tensão! Tensão! Tensão! Mas nisso, ouvem a voz dela. Deu certo, (ufa!) conseguiram trazê-la ao local do rendez-vous. Viva! Agora era só correr pro abraço.
Pra completar:
- Não temos pratinhos e nem garfinhos!
E corre Margie atrás dos itens indispensáveis para o evento.
No final de toda essa correria e confusão, a surpresa que quase os pega de surpresa, deu certo! Eles comemoraram, e claro, riram muito de tudo aquilo.
Se fosse planejado, não teria dado tão certo.

quarta-feira, 22 de outubro de 2008

O dia em que a Coruja virou Tartaruga

Mal o dia amanheceu e ele estava chegando a seu trabalho. Maldito horário de verão. Em outros dias ainda seria sete da manhã, horário que normalmente estaria saindo de casa e não chegando ao trabalho.
Eis que de longe ele enxerga a ave. Sorrateira e num vôo lento e curto, a coruja se movia rumo ao seu ninho. E ele mais que apressado teve que desacelerar para não atropelar a coruja e muito menos ser visto por ela. Parecia um jogo de gato e rato, ou de detetive e bandido. Ele andando-correndo um pouco mais atrás, e a coruja quase que virando uma lesma a sua frente.
Droga, assim ele vai se atrasar, mas ele não pode passar pela coruja, ela não pode vê-lo. Deus do céu, há dias que ele não vê a coruja e queria que continuasse assim. A ave parece não querer ir para o ninho de trabalho, se move feito bicho ferido, a coruja está mais devagar que uma tartaruga. E ele com a pressa de uma lebre.
E ficam nessa corrida sem vencedor. Ele tendo que esperar a coruja-tartaruga, sem poder ultrapassá-la, para que possa chegar em paz em seu trabalho e evitar que aqueles dois olhos grudem na sua testa!
Finalmente, ele consegue, chegou. E a coruja nem notou sua presença. Ou ela usou seus olhos nas costas para observá-lo em silêncio.


Crédito: emersonfialho.files.wordpress.com

terça-feira, 21 de outubro de 2008

E foi assim

E foi quando eu decidi me libertar
E foi quando eu parei de me preocupar
E foi quando eu percebi que você parecia não me notar
E foi assim que eu parei de te esperar
E já nem mais conseguia chorar
E percebi que eu passei a me humilhar
E tentei resgatar o seu olhar
E eu já não tinha mais o que tentar
E cansei de tanto me julgar
E agora voltei a caminhar
E agora sozinho você vai ficar
E nem adeus irei deixar.

Freak like me

"...E quando você tiver tempo
quero dizer o que tenho em mente
Preciso falar, pois está muito pesado
Depois do que fizemos noite passada
Quero ficar com você pelo resto da minha vida
Estou tão contente que você seja como eu"

As paredes.

A história tem suas fases, a música tem suas fases, a moda tem suas fases, então, por que ele também não poderia ter suas fases? Quem acompanha, sabe que agora está numa fase de lamentação, ou uma fase negra (como ele costuma dizer). Creio que o que irá ler em seguida, seja o encerramento dessa fase negra e o pontapé inicial para uma nova fase, ainda sem nome, mas uma luz no fim do túnel.

Agora em silêncio, ele apenas ouve o vento agitar os galhos das árvores, consegue distinguir os diferentes cantos dos pássaros, que parecem conversar entre eles. Ou será que tentam conversar com ele?
As paredes, agora confidentes, ouvem o seu lamentar. São boas nisso. Talvez seja porque não tenham para onde ir, estão condicionadas a ficar ali, estáticas. Mas elas são ótimas em seu papel que, além de boas ouvintes, se unem para sustentar um teto, se abraçam para formar um abrigo e aconchegar seu interlocutor, que não pára de cantar a mesma canção, assim como os pássaros, que nesse momento parecem só emitir um tipo de som. Uma espécie de súplica, nos pedindo para lhes dar atenção. Mas assim como ele, não são ouvidos e para os pássaros só lhes restam as árvores, que assim como as paredes, também não têm para onde ir e terminam por assim ser, suas confidentes.
Os pássaros perdem o seu canto por entre as árvores; e ele perde suas palavras nessas paredes. Talvez num futuro distante, elas passem pra frente suas palavras. Talvez se ele parasse de falar e se aproximasse das paredes e ouvisse atentamente, conseguisse ouvir que elas respondem.

segunda-feira, 20 de outubro de 2008

to the floor

Sem nem pedir licença, tiraram o chão onde eu pisava. E agora, onde posso pisar? Alguém por favor devolva o chão debaixo dos meus pés! Pois eu preciso continuar caminhando...

"Era uma casa muito engraçada
Não tinha teto, não tinha nada
Ninguém podia entrar nela, não
Porque na casa não tinha chão..."

Pausa pro lanche



Indo para Oktoberfest, pudemos ter nosso café da manhã! Patrocínio da Fófas, que nos fez cookies deliciosos... chegamos bem gorrrrdos em Blumenau.
Queria poder voltar no tempo e viajar de novo. Só pra ter essa folia no ônibus...















Ainda bem que nossos bancos viravam verdadeiras camas! Pudemos ao menos relaxar na viagem... depois do café é claro!

sexta-feira, 17 de outubro de 2008

data errada

Só pra constar que o Aniversário da pequena travessa foi ontem.
Pra você ver como eu presto atenção em datas né.

[...] Nessa data querida, muito doce de leite e muitos anos de vida!

Aniversário da MCDL. Devemos apagar as "velhinha"!!! \o/
Devemos cantar parabéns à você? É, talvez devêssemos. Mas como eu adoro os acasos da vida, hoje eles não verão MCDL e sua mãe. Primeiro porque eles chegam em casa super tarde e as duas já dormem e segundo que se informa, as duas irão partir em viagem hoje. Casa livre!
Talvez, eles comprem uma lembrancinha: um clips, uma tachinha, um elástico de amarrar dinheiro. Ou talvez, deixem passar batido.
Bem, a MCDL não tem culpa de nada, mas sejamos francos, tal mãe tal filha. Nada de vingança na menina, sabemos separar as coisas. Mas, pra falar com ela tem que olhar pra cara da mãe, então evitaremos por um tempo.
Será que ela perderá a "assim-chamada adoração" que tem por eles? Ou será que já perdeu e eles nem perceberam?
Mas pra não ficarem dizendo por aí que ele é malvado e tem um coração de pedra, mandou enviar essa foto em comemoração. (Apesar de que ela jamais acesse esse blog)

FELIZ ANIVERSÁRIO MCDL! MUITOS POTES DOCES DE LEITE PRA VOCÊ! POIS VOCÊ MERECE...


ÓIA QUANTOS!!! \o/


Créditos foto: caciomurilo.com.br

quinta-feira, 16 de outubro de 2008

Mer Girl

Pra quem acha que Madonna só fala de sexo e putaria. Pra quem acha que ela é só materialista. Vai uma de suas letras mais profundas “Mer Girl (do álbum Ray of Light de 1998)” que é uma das minhas favoritas, pela interpretação de Madonna e pelo teor da letra, pelo tom sombrio contido na canção.
Madonna fala sobre a morte de sua mãe de forma peculiar, numa viagem onde ela passa por colinas e pomares, ela entra no cemitério e então é engolida pela terra, onde parece que a cantora diz ter sido enterrada junto de sua mãe, como se fosse um último encontro. Ela narra: “E o chão se abriu debaixo dos meus pés, e a terra me pegou no colo. As folhas cobriram meu rosto, formigas andaram nas minhas costas [...] E eu senti o cheiro da carne dela queimando, a raiz dos seus ossos, seu apodrecimento”.
Pode parecer uma letra macabra, mas é uma letra onde parece que a Madonna expulsou seus demônios, ou parte deles.
Para os envolvidos na produção da música, disseram que após gravar a voz na canção e sair da sala, todos estava boquiabertos e arrepiados com a interpretação da tia Madge. Realmente, uma excelente canção.

Eu corri da minha casa que não consegue me conter
Do homem que eu não consigo manter
Da minha mãe que me assombra embora ela já tenha partido
Da minha filha que nunca dorme

Eu corri do barulho e do silêncio do tráfego das ruas
Eu corri para o topo da árvore
Eu corri para o céu
Para fora do lago
Para dentro da chuva que embaraçou meus cabelos e molhou meus pés e minha pele
Escondeu minhas lágrimas escondeu meus medos

Eu corri para a floresta
Eu corri para as árvores
Eu corri e corri eu estava procurando por mim

Eu passei pelas igrejas e pela velha e torta caixa de correio
Passei pelo pomar de maçãs e pela senhora que nunca fala
Para cima do morro eu corri para o cemitério
Segurei minha respiração e pensei em sua morte

Eu corri para o lago para cima do morro
Eu corri e corri eu ainda estou olhando

E eu vi os túmulos caídos todos os nomes esquecidos
Eu provei a chuva eu provei minhas lágrimas
Eu amaldiçoei os anjos eu provei meus medos
E o chão se abriu debaixo dos meus pés
E a terra me pegou no colo
As folhas cobriram meu rosto formigas andaram nas minhas costas
O céu negro se abriu me cegando

E eu senti o cheiro da carne dela queimando
A raiz dos seus ossos
Seu apodrecimento
Eu corri e corri e ainda continuo correndo...

quero mais!

Hoje é um dia que preciso me expressar! Mas não acho palavras suficientemente suficientes para fazê-lo.
Parece que hoje é um daqueles dias em que você come a fome não passa, ou seja, escrevo e a vontade de escrever aumenta. Porém, cada coisa que escrevo não expressa totalmente o que eu quero, e eu não consigo achar algo bom o bastante pra isso. Talvez hoje eu acabe postando mais do que o normal. Veja, esse já o terceiro post do dia, sendo que normalmente é 01 a cada dois e olhe lá. Quero escrever escrever escrever o que vier a mente, o que der na telha.

Posso parecer maluco ou depressivo. Mas preciso escrever!

Talvez alguma letra de música fale por mim.
Vamos procurar...

I Believe, I Believe, I Believe, I Believe in you

"Eu não acredito que você me conhece,
Embora você saiba meu nome
Eu não acredito que os meus deslizes
Sejam só minha culpa
Eu não acredito em mágica,
Está só na imaginação
Eu não acredito que eu amaria alguém
Só pra passar o tempo...

Mas eu acredito em você
E eu acredito em você

Eu não acredito que beleza,
Sempre será substituída
Eu não acredito que uma obra-prima
Pudesse combinar com o seu rosto
Eu não acredito que quando você morre
Sua presença não é sentida
E se você sempre tem que ir embora
Nada em meu mundo jamais poderia ser igual
Nada dura para sempre, mas juntos até o fim
Eu lhe darei tudo que eu tenho, sempre

Porque eu acredito em você
E eu acredito em você! "

Uma vez um poema.

Era uma vez João e Maria
Iriam começar a brincar de casinha
Já que seus pais foram pra outra freguesia
Mal começaram a brincar
E uma bruxa estava a se aproximar
E então em sua casinha ela foi se instalar
Ela era uma bruxa parasita
Não paga por onde transita
Nem pra comprar sua comida
João e Maria pagaram o pato
Se fossem mais bobos
Perderiam até os sapatos

Um belo dia eles acordaram
E com a bruxa eles argumentaram
Mas ela se fez de surda
Por pouco não leva uma surra
Agora eles estão de saída
A bruxa não mais sugará suas vidas
Terá a casinha toda pra ela
Pode viver na sua linda favela

João e Maria de volta na trilha de migalhas de pão
Não sabem onde vai terminar essa confusão
Esperam encontrar uma casinha de chocolate
E não mais enfrentar um novo combate
A brincadeira voltava às antigas
Mas dessa vez eles não ouvem mais cantigas
João e Maria já são bem crescidinhos
Seus pais agora não interferem em seus mundinhos
Os quatro juntos vão morar
E uma nova etapa começar.

quarta-feira, 15 de outubro de 2008

Quando ninguém olha...

Será que existe uma recompensa para tanta provação? Quando que vou parar de ser testado? Até quando serei levado ao meu limite? Por quanto tempo ainda poderei me manter firme, tal qual uma fortaleza, e não me deixar abater para não abater os que me cercam?
A irmã ligou para a mãe deles, desabou a chorar. Em seguida, a mãe fala com ele, ele firme e forte, mostrando que tudo estava sob controle, que ele estava num mar de rosas e que tudo iria se resolver. Mas esperem, ele tão positivo assim? Quando na verdade ele deveria era mostrar pra mãe o quanto estava irritado com tudo aquilo e querendo pôr fim o quanto antes! Por que não o fez? Ele só queria mesmo, ela deixá-la tranqüila, mostrando que apesar dos pesares, eles estavam bem.
Mas de qualquer modo, ele não consegue se manter em pé por muito tempo, logo sua armadura cai e se desfaz em pó sendo levada pelo vento. Quando ninguém está olhando, sua fortazela desaba, ele volta a ser uma criança precisando de um abraço protetor.
Ele sempre pareceu uma sólida rocha, maciça, mas na verdade, aquilo sempre foi uma casca tão frágil que com uma batidinha de leve, se parte em mil pedaços.
Não poderia deixar a irmã vê-lo assim, afinal, se um desabar, tudo se cai em efeito dominó. Então ali estava ele, completamente nu, fragilizado e vulnerável. Sozinho (fisicamente), pois num outro plano, ele sabia que tinha amigos dando a força que ele mais precisa.
Ele tem medo de trocar a sua fortaleza pela amargura e se tornar seco, sem emoções, sem sentido. Ele luta para não se fechar num casulo que dá a falsa idéia de proteção, quando na verdade, não te protege das agressões do mundo e sim te deixa como um ser inanimado à parte de tudo isso. A proteção vira exclusão, vira solidão.

Enquanto isso, procuro discos-voadores!

Hoje é dia 15 e cadê os ETs?
Eu fiquei esperando, esperando, esperando... nada! Estive aqui plantando nesse Planeta Terra aguardando um sinal extraterreno, para fazer contato, para me deixar levar como cobaia para outro planeta. E nada!
Talvez morar em outro Planeta não seja tão ruim assim. Ir morar com os aliens e começar tudo de novo, em outro lugar, seria mais que perfeito.
Mas como será esse lugar onde eles vivem? Será mais frio, mais quente, mais escuro, mais claro, com muito vento, sem vento algum? Será que lá tem lagos, mares, riachos? Será que tem milhares de animais de diferentes espécies? Será que lá tem árvores? Mas espera! Estou praticamente esperando um clone da Terra. Não, eu quero que seja mais do que temos aqui.
Se alguém avistou uma nave espacial, favor avisar que eu ainda estou aqui esperando. Mandem sinal de fumaça, jogo de luz, façam o que for necessário.
Pra facilitar, meu endereço é... pronto!

"While my eyes, go looking for flying saucers in the sky"




Crédito da foto: www.ich.pucminas.br

segunda-feira, 13 de outubro de 2008

Made in Japan.. ou será China?

Hoje a Coruja deu lugar ao casal Nipônico. Ele foi perseguido desde a rua até o restaurante onde costuma almoçar.
Ele estava na fila do Buffet e quando se deu conta os pequenos mangás estavam atrás dele. Pôde perceber ao ouvir "Nimaxixô oxixuxá", algo que é incapaz de reproduzir, que idioma mais complicado!
Cultura machista, o velho se servia antes da velha, e são bons de garfo hein, no mínimo gastaram R$15 cada um [modo dirce desligado].
Ele foi se sentar, deu uns cinco minutos, ele ouve lá de longe "kakurembo madadai oxixuxan ioxoxo" e adivinhe só, os casal senta-se ao seu lado. (¬¬). Que felicidade, tantos lugares ali dentro, foram justo ao lado dele.
E me respondam, como conseguem falar tanto e comer ao mesmo tempo?! Tava dando tontura aquele idioma, que mais parecem gemidos do que falas. Êta idioma!
Talvez o casal tenha vindo atrás da Lasanha de Salmão, que aliás, acho que devido a crise americana aproveitaram pra estocar salmão. Ele nunca tinha visto salmão assim à Deus dará. Mas em torno de 01 semana comeu pizza de salmão e agora a lasanha. Que nessa lasanha, vamos combinar, devem ter "inteirado" com sardinha.
Enfim, devido ao prato de predreiro dos mangás, ele terminou de comer muito antes. Foi embora, olhando pra trás, cuidando de todos os lados. Vai que ao chegar de volta ao prédio onde trabalha o casalzinho se materializa bem diante dos seus olhos? Melhor prevenir.

Créditos foto: bp3.blogger.com

O dia que deveria ser de 48h!

Acorda 5:30AM em pleno sábado. O motivo: uma apresentação em Blumenau, em plena Oktoberfest. Chega ao seu destinho exatamente às 5:54AM, é o primeiro a chegar. Ele pensa "bem, poderei dormir no ônibus". Falsa ilusão.
Pouco a pouco os demais integrantes do grupo chegam. Não muito além das 07h eles partem. Seu sono, partiu junto. Ficou ali conversando com o pessoal, relembrando histórias, rindo e tudo mais. Talvez ele tenha dormido no máximo 1h, não se lembra. Ele estava atemporal, sem relógio, sem horário, sem obrigações, pois pelo menos até chegar à Blumenau, sua única obrigação era estar dentro daquele ônibus, e isso ele já tinha feito.
Ele achou que teria tempo de dormir entre desfile, almoço e apresentação.
Chegando lá, que correria, almoçar e ter que se arrumar para o desfile. A chuva caía. Todos tinham plena certeza de que não aconteceria desfile algum, todavia, foram obrigados a ir desfilar. Chegando lá, foram deixados à milhas de distância do local do desfile e tiveram que ir caminhando embaixo daquela fina garoa que caía. Se concentraram debaixo de uma marquise, e lá ficaram esperando... esperando... esperando... esperando... esperando. Até que: "Desfile foi cancelado, voltem para o ônibus".
Ele pensou que então poderia dormir até a hora do jantar, que nada. Pareceu que o dia teve apenas 6h. Quando viu, já tinha que almoçar, depois já tinha que desfilar e em seguida já era servido o jantar pois a poucas horas (exatamente às 21h30) precisavam se apresentar. Ele acha que terminou de jantar às 19h e às 20h já deveria estar pronto. Tudo de acordo e no cronograma. Mas e sono? O sono ficou em segundo plano.
Ele só dormiu na viagem de volta, que dessa vez pareceu durar apenas 30 minutos. Tinha vontade de pedir ao motorista que dirigisse o ônibus rumo à America do Norte, assim daria para dormir mais.
Chegou em casa pouco mais das 07:30AM, mal conseguindo trocar de roupa, mas o fez. Se deitou para uma soneca ligeira e quando se deu conta já eram 21:30h quando o telefone tocou e sua mão do outro lado da linha querendo saber como foi a apresentação. Ele nem tinha forças para falar. Desligando o telefone, ele desligou junto e acordou meia hora depois. Tomou banho, trocou novamente de roupa, tomou um chá, comeu algumas fatias de pão, escovou os dentes e voltou a desmaiar na cama.
Hoje, parece que tomou litros de álcool, está fora de si. Ainda está embriagado, quisera ele que tivesse se afundado em copos de chopp, então a embriaguez teria uma razão.

sexta-feira, 10 de outubro de 2008

quinta-feira, 9 de outubro de 2008

Recesso.

Não vai fazer muita diferença mesmo, mas, estarei em recesso desde agora. Não atualizarei esse blog até segunda-feira. Pois amanhã a noite estarei praticamente de partida para "dançar, beber, cair e levantar" dançando "um barril de chopp...". Siiiiim, estou indo para a Oktoberfest! \o/

Bem, talvez nem notem a diferença, pois como a amiga Gê disse "seu blog parece um anuário eletrônico, pois você nunca atualiza", logo estarei sem atualizar de novo. Hehehehehe
Mas dessa vez, tem um motivo. E quando eu voltar, espero ter muita coisa pra contar sobre essa Oktober.
Se tudo der certo, não tomaremos Chopp. Temos um certo número de pessoas que não gostam de chopp, então vamos tomar drinks dançantes. Onde? Não sei! Mas vamos tomar, nem que seja sentado no meio fio olhando a lua.

Até a próxima!

quarta-feira, 8 de outubro de 2008

RJ, RS ou PR?

E foi dado início a uma discussão sem fim. Cada um defendendo seu lugar, ele defendia sua cidade Curitiba, esposa defendia o Rio de Janeiro e prima defendia o Rio Grande do Sul. Qual era melhor?
Tudo começou com um Power point, falando das belezas do Rio, que faz jus à canção “...e bonito por natureza, mas que beleza!”. Realmente, devo concordar. Ao receber em seu e-mail, a esposa responde:
- Minha cidade é lindíssima!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Logo ele vai reclamar:
- A minha é mais... tá?!
E se iniciou uma troca de e-mails
- Cadê as fotos pra comprovarmos???????????? – quis saber a esposa.
- Um momento, estou ligando pra prefeitura pedindo um FOLDER bem legal...
- Tá bom a cidade de vcs podem ser lindas, agora o MEU ESTADO É O MELHOR E MAIS LINDO TAH??!!!! – disse a prima defendendo o Rio Grande do Sul.
Essa é uma discussão que não terá fim jamais. Lembrando que, eles mais estavam rindo do que discutindo de fato. A brincadeira de defender seu estado/cidade estava tão legal que eles continuaram.
- Ahhh vale lembrar.... que photoshop existe pra isso... até pra corrigir cidades. – Mandou ele.
- Bem lembrado! Aproveite que vc ainda não mandou as fotos da sua cidade e melhora antes de mandar. A minha não precisa. – Rebateu a esposa.
- Olhaa....... eu não uso photoshops na minha cidade.. nao preçiza! Ela é feia do jeito que Deus fez.. juuuuuuuuuura né.... Aqui acho que de bonito tem o céu... e nada mais! – ele responde (erros de gramática propositais).
- E assim vc acabou pôs fim à brincadeira. – respondeu a esposa.
Mas que nada, já que era pra continuar, então vamos continuar:
- Coloquei fim não... Se quiser defendo até a morte. Naqueles slides só tinha foto do mar.. claro que é mais bonito!!!!! Eu vou ficar tirando foto das árvores aqui e dizer que somos lindos tbm..
- Olhe de novo. Agora atentamente. Vc perdeu várias fotos. Mas quando foi que eu disse que a beleza do Rio não é natural?
Então acho que o cérebro dele teve uma paralisia, e saiu isso:
- Tá.. tem um senhor de braços abertos ali... uns estádios... e só. acabou. Tá tudo bem, mas então a beleza é do país e não do Rio. Aliás, do mundo.. por conseqüência do destino, acabou que ali se tornou rio de janeiro.. como poderia ser curitiba ali... então, curitiba seria mais linda, logo, não eh valido. (que é que eu tô falando meu jezuis?!)
Então travou-se a batalha entre ele e esposa:
- Não entendi a sua lógica. Mas deixe, não tente explicar de novo pq vou ficar mais confusa
- Que? Capaz.. eu explico.. eu quis dizer que beleza natural não conta, tava pronta! A cidade caiu de pára-quedas.. valeu?
- Tá bom, tá bom A beleza é natural, mas tá na minha cidade e não na sua. Valeu?
- Hmmmm... é, infelizmente ou felizmente está! Mas, coitada da beleza, é igual filho que não escolhe o pai.... aqui tem belezas naturais tbm,.... deixa eu ver... tem a.... e a..... e aquela.... viu, todas essas!
A esposa finaliza:
- Agora vamos inventar outra polemica pq esta esgotou. E eu estava me divertindo com nosso debate.
Mas eis que a prima surge ao debate, para apimentar a discussão:
- Vcs querem parar de brigar!! Vou defendê-lo, EEEI Curitiba é linda meu!!! Como que tu fala q não tm nada?! Bem Tanto faz, pq o MEU ESTADO É O MAIS LINDO.
Ih, já que começou então termina. Ele não podia deixar passar em branco. Ele ainda deu mais um parecer sobre o Rio:
- Rio de Janeiro é ruim.. berço do funk. PAUSE na polêmica por favor...tenho que ir embora e só volto mais tarde.. é feio falar de mim pelas costas... RIO GRANDE do SUL não tem nada d+, nem rio grande tem, pq rio grande quem tem é a Amazônia!
Mexeu com a prima que ficou “furiosa”:
- ( cara de espanto) AGOOOOOOORA TU MEXEU COM A PESSOU ERRADA (fala gritando e sacudindo as mãos muito irritada) QUE PORRA É ESSA? HEIN? HEIN? EU TE DEFENDO E TU ME PASSA O CALOTE?? VAIS VER, ESTOU PREPARANDO UMA VINGANÇA MALIGNA UA-HA-HA-HÁ! Rio Grande é LINDO SIM SR. VIU?!!

E terminou que todo esse debate foi parar no MSN. Eles mais riram do que defenderam suas cidades. No final, os três venceram. Cada região representada por eles tem sua beleza e seus atrativos. Afinal, moramos “num país tropical abençoado por Deus”.

segunda-feira, 6 de outubro de 2008

Mundo porco!

Bem lembrado pela minha amiga Neeck Soso!
O lixão que deixam a cidade. Me pergunto: pra quê jogar tanto santinho no chão? Eu não costumo pegar os santinhos do chão para me decidir em quem votar. Geralmente eu ando de cabeça erguida e não caçando canditados no asfalto ou calçada.
Imundice geral, vontade de pegar todos os candidatos ali no chão e tacar fogo, mas eu iria gastar fósforo e contribuir com o efeito estufa.
Tinha que existir multa para isso e para a poluição visual que fazem, entupiram a cidade de cartazes, meu Deus, deu medo!
Mas enfim... o dia obrigatório de exercer a cidadania já foi, já fiz o meu papel obrigatório e insatisfeito com os resultados. Pois descobri que cantora virou nome próprio e agora foi uma das vereadoras mais votadas, seu nome? Cantora Mara Lima. Gostei do sobrenome "Mara". Talvez eu coloque em uma das minhas filhas... se um dia eu tiver.... pois não estou muito afim de colocar criança nesse mundo porco.

domingo, 5 de outubro de 2008

Cidadania obrigatória!

Certo, certo. Hoje ele foi exercer sua cidadania, aliás, obrigado a exercer. Que cúmulo, terem a pachorra de ficar fazendo campanha pedindo votos! Somos obrigados a votar, então, não precisam pedir muito. E pra quê tanta tecnologia?????? Pra isso que pagamos impostos? Para urnas eletrônicas de última geração?! De qualquer forma, ele votou.
Pra vereador ele achou um lá com um nome legal e uma proposta boa, então votou nele. Já para prefeito, ele digitou qualquer número, apareceu uma foto e correndo o olho pela telinha ele enxergou o vice-candidato. Que dó! Ele ficou com tanta peninha do vice que resolveu apertar o confirma. O apelo foi aceito.
Então ele foi almoçar na casa da irmã, pra fechar o domingo entendiante de votação de uma forma legal. Foi uma reunião em família, aproveitou o pai e a mãe que estão aqui na cidade, os cunhados também estavam lá (um deles o anfitrião) e até o irmão-ovelha-desgarrada que há tempos não via também estava lá.
Ao chegar, ele teve tempo de descansar ao sol, aproveitando o super movimento da rua, ele sentou e tomou um solzinho pra relaxar.






Aproveitando a paisagem, ele trocou energias com a natureza. hahahahahahahahahahhaa...
CORRE QUE ESTÁ VINDO CARRO!!!!!


E assim ele aproveitou seu domingo, e assim terminou seu domingo. Foi muito divertido, somente o momento do almoço na casa da irmã, pois a parte de "exercer" a bosta da cidadania, foi muito chata!

sexta-feira, 3 de outubro de 2008

Sticky & Sweet

Finalmente!!!
Finalmente!!!
Ontem ele foi buscar os ingressos para sua tão sonhada Sticky & Sweet Tour (clique).
Que emoção e que susto! Ao chegar, ele é avisado "Ontem ninguém conseguiu pegar os ingressos por falha no sistema". Novamente a porcaria da empresa Tickets For Fun nos dando dor de cabeça. Mesmo assim o atendente disse que iria testar o "novo" sistema com ele.
Tensão.. foram os segundos mais demorados de sua vida, e então.. vivaaaaaaaaaaaaa ingressos na mão!!! Ele foi o primeiro dessa cidade a conseguir pegar os ingressos!
Coisa mais linda. Coloca numa moldura! Mas no dia do show vai ter que ir com moldura e tudo. Deu tudo certo, agora mais do que nunca, confirmadíssimo que ele vai. Ele e suas irmãs. Agora é só tentar dormir e esperar chegar dezembro!

"Get up out of your seat
Come on up to the dance floor
I need plenty of heat
Just start moving your feet

Sticky & Sweet, my sugar is raw (Dance!)"



Crédito da foto: O Globo

Dores

Ele agora inventou de fazer danças de salão. Seria algo mais light do que toda a rigorosidade vinda do folclore polonês. Mas ele se enganou. Visto que eles têm agora uma preparadora física, ou seja, alongamentos de balé e exercícios de fisioterapia.
Seu corpo agora dói. Uma dor que ele jamais imaginou que pudesse sentir na vida. Corrigir postura não é algo fácil. São exercícios que parecem mais um ritual de tortura medieval, ele tem vontade de chorar, de sair correndo chamando pela mãe. Então ele respira fundo e lembra que tudo isso no futuro o ajudará e muito. Pois ele não quer ser profissional? Então, arregace as mangas, chore, esperneie, mas, se alongue!
Depois de ter ficado por 10 anos no folclore polonês, sua postura enrijecida desfavorece para alguns movimentos na dança de salão. Imagine essa pessoa dançando samba? No início foi muito complicado, seu tronco era algo inanimado, para o folclore: ótimo! Mas ele agora não estava no folclore e precisava dar vida. Bem, seu tronco agora dá alguns suspiros, mas ainda assim precisa progredir mais. A sensação é a de que ele entrou no meio da torcida do Atlético e gritou “Viva o Coxa!” ou vice e versa. Pois todas as partes de seu corpo latejam, choram, gritam desesperadas. Sua sorte, é que seu corpo já está meio acostumado a esse tipo de tortura, foram 10 anos, mas ainda se sente (citando Madonna) “tocado pela primeira vez”.

Foto: Momento do alongamento da Cia de Dança Amálgama (ele acabou sendo cortado na foto)

quinta-feira, 2 de outubro de 2008

Ser cunhado dele é...

Aguentá-lo cantando músicas sertanejas na volta da viagem
e ao mesmo tempo pedindo bijú, algodão doce, sorvete, rosquinhas...
...durante todo o percurso
Vê-lo desfilar com as roupas bizarras da tia...
...e tirar fotos
Colocar Paquitas no cd player do carro...
...e filmá-lo cantando e dançando
Ouví-lo dizer que é adotado

Dar flores e chocolates pra ele [que entregam pra pessoa errada]
E ainda ter que buscá-las com a Dona Olamira
Aguentá-lo pedir pelas fotos e vídeos...
...incessantemente
Ficar sem bateria no carro
Fora da cidade
E mesmo assim ir buscá-lo para um aniversário
Afinal, ser cunhado dele
É ter que dar carona toda vez que precisa passear :p
Aguentá-lo de mau-humor


Ser cunhado dele é ter um espírito alegre e arteiro
Pois não é fácil
Tanto ele quanto a irmã são duas crianças, eternamente
Alegres, malucas, divertidas...
E não basta ser só cunhado, tem que participar!

terça-feira, 30 de setembro de 2008

Precisão

Eu preciso
Ser preciso
Eu preciso
Precisar
Eu preciso
Necessidade
Eu preciso
Precisão
Eu preciso
Conversar
Eu preciso
Escutar
Eu preciso
Precisar de mim
Eu preciso
De você
Eu preciso
Que precisem
De mim
De você

Quero falar sem ponto final
Quero discursar sem vírgulas
Quero sufocar de tanto falar
Palavras cuspidas
Palavras automáticas
Palavras independentes
Palavras que me auto-definam
Sem dificuldades
Eu preciso
Sem dificuldades
Preciso!

"Chove chuva, chove sem parar"

Ainda acho que em dias como os de hoje, chuva e frio, deveria ser proibido trabalhar. Eu sei que se isso acontecesse, o sul do país teria praticamente semanas de recesso (que os anjos digam amém).
Mas falando sério. Quem tem pique e ânimo de vir trabalhar num dia desses que grita pra você "FIQUE EM CASA VENDO FILME DEBAIXO DA COBERTA!".
Feliz a época em que eu só estudava. Dias como hoje, era falta na certa, exceto quando eu tinha prova ou aula de física! Não estou reclamando de ter que trabalhar, longe disso, estou reclamando que dias assim nunca estamos dispostos à levantar cedo.
Tive um caso amoroso com minha cama, ela não queria me largar hoje. E em meio há tantos tapas eu consegui me livrar dela, eu disse "eu tenho que ir, me larga! Possessiva". Meu edredon quis me segurar pela perna, meu pijama não quis sair do meu corpo, meus cabelos não queriam se pentear. No fim, eu consegui! Fui!
Mas que a idéia de ficar em casa deitadinho, um dia sem fazer nada, é tentadora... ah isso é!

segunda-feira, 29 de setembro de 2008

[re]visitas

... e ele revisitou os lugares mais remotos em sua consciência. Lugares que ele manteve fechado, achando estar seguro e protegido e também, protegendo os outros à sua volta.
Lugares que jamais pensou em visitar novamente. Lugares que permaneceram no mais sombrio do inconsciente.
Ele precisa destrancar essas portas. Precisa pensar mais em si mesmo. Precisa ser um pouco mais egoísta, mesmo que metade da população já o ache egoísta o bastante, porém, ele sempre agiu pensando nos outros, nunca em si mesmo.

É hora de revisitar...

Nome na jogada.

Onde vamos parar????
Eu nem tenho acompanhado o horário político, mas ao notar alguns cartazes por aí pude perceber que não perco nada. Gente, que surto é esse? João do Suco, Orlando Chimbica, Cobrador Zoinho, Carteiro Chiquinho?! Meu, fala sério, 'naonde' que vou querer me ver representado na câmara por pessoas desse tipo? Onde foram parar os da Silva, Pereiras, Borges, Alcântaras?
Por essas e muitas outras que talvez eu bem vote no sr. nulo, pois pra palhaçada, eu posso ir na Saraiva comprar Cirque du Soleil, e ainda que o Soleil é palhaçada de alto nível, com requinte e produção milionária. Já não sei mais o que esperar desse brasilsão de meu Deus, cada vez mais perdido do que eu assistindo ópera. Farei uma busca profunda e dessa vez votarei no nome mais decente, do tipo, Antônio Martins, Fabiano Rocha e afins. Que eu quero saber as propostas deles? Nada, quero só um nome bonito me representando lá na toca de "anjinhos". Prefeito? Bem, ainda temos sorte de seus nomes serem normais. Nesse caso, tratem de me convencer com suas propostas e parem de se atacar feito animais selvagens. Se vendam e não se comam.
Bjomeliga!