Pesquisar este blog

segunda-feira, 13 de outubro de 2008

O dia que deveria ser de 48h!

Acorda 5:30AM em pleno sábado. O motivo: uma apresentação em Blumenau, em plena Oktoberfest. Chega ao seu destinho exatamente às 5:54AM, é o primeiro a chegar. Ele pensa "bem, poderei dormir no ônibus". Falsa ilusão.
Pouco a pouco os demais integrantes do grupo chegam. Não muito além das 07h eles partem. Seu sono, partiu junto. Ficou ali conversando com o pessoal, relembrando histórias, rindo e tudo mais. Talvez ele tenha dormido no máximo 1h, não se lembra. Ele estava atemporal, sem relógio, sem horário, sem obrigações, pois pelo menos até chegar à Blumenau, sua única obrigação era estar dentro daquele ônibus, e isso ele já tinha feito.
Ele achou que teria tempo de dormir entre desfile, almoço e apresentação.
Chegando lá, que correria, almoçar e ter que se arrumar para o desfile. A chuva caía. Todos tinham plena certeza de que não aconteceria desfile algum, todavia, foram obrigados a ir desfilar. Chegando lá, foram deixados à milhas de distância do local do desfile e tiveram que ir caminhando embaixo daquela fina garoa que caía. Se concentraram debaixo de uma marquise, e lá ficaram esperando... esperando... esperando... esperando... esperando. Até que: "Desfile foi cancelado, voltem para o ônibus".
Ele pensou que então poderia dormir até a hora do jantar, que nada. Pareceu que o dia teve apenas 6h. Quando viu, já tinha que almoçar, depois já tinha que desfilar e em seguida já era servido o jantar pois a poucas horas (exatamente às 21h30) precisavam se apresentar. Ele acha que terminou de jantar às 19h e às 20h já deveria estar pronto. Tudo de acordo e no cronograma. Mas e sono? O sono ficou em segundo plano.
Ele só dormiu na viagem de volta, que dessa vez pareceu durar apenas 30 minutos. Tinha vontade de pedir ao motorista que dirigisse o ônibus rumo à America do Norte, assim daria para dormir mais.
Chegou em casa pouco mais das 07:30AM, mal conseguindo trocar de roupa, mas o fez. Se deitou para uma soneca ligeira e quando se deu conta já eram 21:30h quando o telefone tocou e sua mão do outro lado da linha querendo saber como foi a apresentação. Ele nem tinha forças para falar. Desligando o telefone, ele desligou junto e acordou meia hora depois. Tomou banho, trocou novamente de roupa, tomou um chá, comeu algumas fatias de pão, escovou os dentes e voltou a desmaiar na cama.
Hoje, parece que tomou litros de álcool, está fora de si. Ainda está embriagado, quisera ele que tivesse se afundado em copos de chopp, então a embriaguez teria uma razão.