Pesquisar este blog

quarta-feira, 16 de abril de 2008

Fim de Semana na Mata (O Domingo - final)

O almoço foi servido. Os carnívoros voaram por cima da mesa para conseguirem seu pedaço de carne (isso me lembra uma amiga de um blog vizinho, a Neeck e sua caixinha da música). Almoço esse fora dos planos, uma vez que os visitantes inespereados vieram em bando, tiveram que fazer um churrasco improvisado.
Após encherem a pança feito animais, ficaram esperando por algo a mais. Seria o bolo? Já que era o aniversário da Matriarca, lógico que teria um bolo. Mas tudo muito bem planejado pelas estrelas principais desse "Fim de Semana na Mata", apresentados no primeiro episódio. Foi planejado que o bolo ficaria para quando os inesperados fossem embora.
As freiras muito inteligentes, sacaram a jogada e partiram alguns minutos depois de terminarem seu almoço (muito bem, pegaram a mensagem no ar). Já os nordestinos (ômi seu minino!) insistentes, ficaram roendo ossos até constar que não havia mais carne. Ficaram rondando o terreno esperando uma palavra amigável como: o café está na mesa. Visto que nada disso iria acontecer, foram visitar a irmã da Matriarca que morava ao lado. Excelente! Ficaram somente eles na casa, exatamente como no sábado pacífico. Mas então, cunhados, irmãs, ele e as MCOPs foram à praia novamente, com a esperança de que quando voltassem, o restante deles teria ido embora. Começou a chover, logo a brincadeira com as ondas das MCOPs teve fim e tiveram que retornar. Virando a esquina, susto e desgosto, o carro dos nordestinos continuava parado em frente à casa da Matriarca. Mas ufa, foram embora alguns minutos depois: o pré-adolescente fashionista, a irmã da vó, o irmão da vó, a esposa do irmão (a gralha) e as duas crianças terrorzinho de feias.
Seguindo com o plano, assim que eles viraram a esquina, eles (as estrelas desse show) iniciaram um belo café da tarde com direito a bolo de aniversário feito pela Matriarca (mmmm delícia de bolo).
Mesmo tendo todos esses "contratempos", foi um final de semana divertido e gostoso em família, algo que ele jamais havia experimentado há um bom tempo. Agüentaram freiras e nordestinos inesperados, tudo pelo bem e felicidade da Matriarca. Ela merece!



COM VOCÊS: A MATRIARCA!