Pesquisar este blog

terça-feira, 15 de julho de 2008

sen[sações]timentos...

Sabe aqueles dias em que você quer escrever, mas não sabe ao certo sobre o que escrever? Pois é, cá estou num dia desses. Talvez seja porque eu esteja com uma confusão dentro de mim, uma mistura de sentimentos e sensações que não me permitem reconhecer quem domina. Em certas ocasiões, menos é mais, ou seja, manter distância ajuda. Mas no meu caso, manter distância atrapalha, quanto mais ausente mais triste eu fico e meu dia parece sempre cinza. Apesar de ainda mantermos contato, quero mais do que isso, e preciso deixar isso bem claro, mas falta a coragem.
Aaah... a coragem, como é fácil escrever e difícil falar. Por que isso? Queria que fosse mais fácil falar e mais difícil escrever, pois ao falar, olhando no olho, podemos ver reações, podemos ver o impacto que causamos para o bem ou para o mal, podemos ter sensações que jamais teremos ao simplesmente escrever. E ao fazê-lo (por escrito) não temos certeza de que quem precisa ler o fará e o pior, se entenderá e interpretará tudo da forma como deve ser. Pois ao ler, podemos ter milhares de interpretações, e novamente, para o bem ou para o mal. Nesse caso, quero que seja infinitamente para o bem.
Preciso de novo fôlego, um novo sopro de vida. Preciso tomar coragem, e dizê-lo frente à frente, olho no olho. Quer meu retorno seja bom ou ruim, mas devo fazê-lo. Te afastarei para bem longe? Ou com isso te manterei mais próximo? É uma dúvida que somente posso saná-la ao dizer tudo o que quero e preciso dizer. Meus sentimentos por você nesse momento, são como o vinho, que melhoram com o passar do tempo. Espero que me compreenda, espero te manter por perto.