Pesquisar este blog

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

E se...

Os olhos pesados e o corpo cansado, mas não consegue dormir. O dia está amanhecendo, e ele não consegue dormir. O sono veio com força o bastante para derrubá-lo, caso não estivesse ele já deitado. Porém, não foi forte o bastante para fazer com que dormisse.
Ele consegue fechar os olhos, de tão pesados, mas sua mente não para de martelar. Finalmente sente um progresso e começa a sonhar. De repente acorda num pulo. Se mais alguém estivesse no quarto com ele, teria acordado junto. O pior é não conseguir se lembrar do maldito sonho que o acordou num susto. O coração agora acelerado o impede de tentar adormecer novamente.
Então alguém apareceu em sua mente e frases ecoando "o que dizer?", "devo dizer?", "como dizer?". E logo esse alguém some. "Mas quem queria sumir sou eu". Sumir é a palavra da vez, mas ela também desaparece, menos ele.
Sua cabeça começa a latejar, seus olhos a reclamar de dor, seu corpo grita para que se deite. As horas passaram depressa. 
"E se..." partícula que tira o sono.