Pesquisar este blog

sexta-feira, 16 de maio de 2008

A que ponto chegamos?! (... continuação)

Ele tomou seu banho. Assim que saiu, foi para a cozinha e fez um copão de nescau bem gostoso (Tudo bem que era Toddy, mas não importa, estava bom). Passou pela sala para ir à cozinha, e lá estava MCDL olhando pra ele com cara de paspalha, com fones de ouvido (já estragaram um fone, esse é novo, se estragarem, é morte). Após preparar seu nescau-toddy quentinho, foi para o quarto, e de lá só saiu às 21h47. Pensou que a velhota curiosa já tinha ido dormir, mas não, estava sentada, plantada feito uma planta morta no sofá. Ele foi para o computador, colocou os fones de ouvido e passou a ouvir várias músicas num volume absurdamente alto. Nem olhava para os lados, muito menos para trás (onde a mãe da MCDL se encontrava). Quase 23h, a mãe resolve dormir. UFA! Mas ele entendeu porque a gata velha ainda estava acordada, seu pai[drasto] estava fazendo uma cirurgia.
Na data de ontem, quinta-feira, ele chega em casa e só tem a irmã. Aleluia Irmãos! Logo a irmã sai para curtir a vida e ele atende ao telefone da mãe da MCDL, do outro lado da linha, A Matriarca:
- Tudo bem por aí?
- Sim (vontade de dizer toda a verdade, mas não, esse problema agora é dele)
- Sabe se seu avô já fez a cirurgia?
- Ele estava fazendo cirurgia?
Deus meu, ele nem sabia que o avô estava fazendo cirurgia. Quero dizer, a irmã mencionou algo, mas ele deve ter confundido as datas. Após o telefonema da mãe, houve outro telefonema para a velhota intrometida, ele anotou o recado para ela. Ficou mais um pouco no computador e foi deitar. Saiu do quarto após ter plena certeza que a velhota já tinha ido dormir.
Ao acordar hoje pela manhã, MCDL e sua mãe já estavam de pé. Ele atrasado (de propósito) corria de um canto para outro pela casa. Aquelas duas têm quarto, mas resolvem se arrumar na sala!!! Parece provocação, pois é impossível não passar pela sala para transitar pela casa. Ele foi abrir a porta ficando de costas para elas e as duas paradas feito duas espantalhas olhando para ele (sim dava para sentir que elas o olhavam), ao passar pela porta e se virar para colocar a chave do outro lado, soltou um rápido “tchau” e teve tempo para notar a cara de besta da mãe da MCDL. Acho que ela estava esperando ao menos um tchau, vontade era de ignorar totalmente, mas ele foi simpático.