Pesquisar este blog

segunda-feira, 2 de maio de 2011

Ai, o Título!

"Põe... gira... tira!"


Lá foi ele para o TRE fazer a maldita biometria e renovar o Título de Eleitor. Como já havia sido bem informado, fez o agendamento pela internet e assim evitaria ficar horas esperando ser atendido.
Tudo lindo, o sol rachava o crânio e ele dirigindo-se ao local do atendimento. Foi descendo uma rua, e conforme descia percebeu uma multidão de gente que subia, nunca tinha visto tanta gente feia de uma vez só e pensou “meu Deus, abriram os portões do inferno!”. Ele começou a ter medo, pensou em voltar, mas foi forte e seguiu adiante, segurou firme a sua bolsa para que ninguém pudesse pegá-la! (Preconceito?! Talvez. Precaução?! Certeza!)
Entra no TRE e depara-se com uma fila enorme e pensou “Por Deus, ainda bem que agendei meu atendimento”. Chegou ao balcão e uma teenager veio atendê-lo:
- Pois não?
- Olá, eu fiz o agendamento pela internet.
- Ah, o agendamento pela internet.
E a garotinha fez o que ele mais temia, virou-se para a maquininha que emite senhas e retirou uma senha para ele. “Mas que coisa!!! Eu agendei um horário por uma razão né?”. Tudo bem, ele estava adiantado mesmo, não custaria nada esperar chamar a sua senha. A mocinha complementou:
- É só aguardar no salão 02. Ali.
E quando ele olhou para o “ali” só enxergou um mar de gente. “Terrorista teria feito a festa aqui hein, metade de Curitiba deve estar aqui dentro deste prédio”.
Sentou-se e aguardou. Poucos minutos depois a sua senha foi chamada e lá foi ele, todo mal-humorado, aquele lugar entupido de pessoas mal cheirosas e abafado. Sentou-se e a atendente foi tão simpática que eles até conversaram e ele descobriu que a moça fez escova progressiva e não sabia usar um mp4. A coisa mais chata foi ter que pegar as digitais de todos os dedos (a parte mais demorada também). A atendente disse para ele:
- Nossa! Se todos fossem rápidos assim...
Ele fez cara de interrogação.
- Essa semana eu fiquei 40 minutos com uma moça, não dava certo pegar as digitais.
Minha gente, como assim? Os atendentes explicam nos mínimos detalhes e até fazem gestos para nos explicar como mexer os dedos para pegar as digitais e ainda assim as pessoas se perdem. Enfim, deixa “pra” lá. Ele ainda disse:
- Nossa, se para votar eram só apertar botões e já demorava, imagine agora que tem que "botar" o dedo na máquina... afff!
Tirou uma fotinho necessária e até que ele ficou bonitinho, mas a foto só aparecerá no momento da votação.
Terminado o atendimento, ele saiu como disparado num foguete, não via a hora de sair deixar aquele lugar horrível, abarrotado de pessoas e que estava quente, muito quente e que só o deixou com toda a certeza que de ali, definitivamente, era o inferno, ou pelo menos o quintal do diabinho.

image: http://autoescolapitstop.files.wordpress.com/2010/09/biometria1.jpeg