Pesquisar este blog

quarta-feira, 23 de maio de 2012

Cereja, nozes e sopa

E aquele aroma de cereja e nozes o fez lembrar dos dias dourados e daquele banho quentinho. Acompanhado de uma noite "quase" fria em que uma sopa bem servida o deixou com lembranças daquele cantinho, parecia que estava provando um pedaço do dia. 
Com o seu prato ficando vazio, lembrava-se de que logo seria a hora de partir. Mas aquele sabor para sempre na sua memória, um sabor de amizade, de carinho, cumplicidade e eternidade. Um sabor indescritível que ainda é possível sentir. 
E então a lembrança de que são dias que se passaram tão depressa. Na verdade já contam um ano inteiro e a sensação é a de que foi outro dia. Risadas na madrugada daquelas pessoas na televisão, uma chuva que teimou em cair enquanto dançavam "locamente", uma vontade danada de procrastinar pela vida toda e ficar largado naquele sofá com a Loira Latina na TV e Loira Brasileira no sofá. Oportunidade única de conhecer o menino dourado, simpático, de olhos que hipnotizam. Mas ele precisava ir embora.
Vontade danada de ficar ou então levar todos com ele. Vontade de deixar a distância reduzida ao alcançar do braço, assim, simples, esticar e tocar a campanhia, a porta se abre e então aqueles dois sorrisos o recebem.
Cereja, nozes e uma sopa. Tão simples e capazes de lembranças tão complexas, fortes e duradouras.