Pesquisar este blog

quinta-feira, 23 de maio de 2013

O dia da Irmãe

Hoje é o dia da primogênita. A favorita, a que veio primeiro. 
Ela teve todos os brinquedos que a Estrela pôde lançar, eu não.
Ela teve álbuns de fotografia personalizados, eu não.
Ela teve seu vestidinho de crochê guardado até quando nem em boneca servia mais... bem, eu nunca tive vestido né?!
Ela tem suas sandálias de bebê como relíquia na casa da vovó, eu não.
Ela é rica, eu não.
Sua data de aniversário é usada para jogar na mega-sena, senha de cadeado, feng-shui e afins. Meu aniversário, às vezes, nem eu lembro
Quando ela pede algum cardápio especial, mamãe cozinha na hora. Pra mim não.
Quando ela pede presente caro, ela ganha. Eu não.

Mas quando ela erra, ela acerta. 
Quando ela sorri, eu sorrio. 
Quando ela chora, eu choro.
Se ela quer conversar, eu escuto. Se eu quero conversar, ela escuta.
Se eu tenho um segredo, ela guarda. Se ela tem um segredo, ela me conta primeiro. 
Se eu preciso de ajuda, ela ajuda. 
Se ela precisa de ajuda, movo montanhas por ela. 
Se eu brigo com ela, eu é que choro. Porque eu não posso viver sem ela.
Se eu peco, ela perdoa. 
Se eu preciso, ela estende a mão.
E nada melhor do que ser seu irmão.