Pesquisar este blog

domingo, 28 de outubro de 2012

Vamos evoluir

Duas ocasiões parecidas, dois momentos diferentes, duas festas à fantasia, dois públicos diferentes. Na primeira deu tudo certo, todos nem ligaram pelo fato dele estar usando vestido, maquiagem, salto e peruca. Muitas pessoas acharam o máximo e até o adicionaram no facebook depois. Já na outra, as pessoas nem chegavam perto dele, o mediam, e foi quase que uma segregação só, ainda bem que tinham amigos ali e ele estava praticamente em casa, então danem-se os outros. 
O preconceito estava claro e estampado na cara das pessoas. E ele achando que isso era coisa de outro mundo. As pessoas têm preconceito, isso é fato, mas o que elas fazem com ele é que não se pode ser aceito. Vamos evoluir um pouquinho, humanidade?

terça-feira, 16 de outubro de 2012

Quero ser burro

"Me deixem ser burraaaa!"... assim como naquele quadro do Terça Insana, eu vivo repetindo isso aos quatro ventos (em pensamento por enquanto). Me deixem ser burro! Não que eu me sinta mais inteligente, mas estou cercado de intelectuais [ou pseudo] que não deixam você ter um minutinho sequer de diversão. Se você está numa roda de amigos e começa a falar que gostou de um filme, logo vai ouvir algo do tipo "A fotografia não era boa, o discurso era isso, o figurino era aquilo, blá blá blá". Qual é o problema em assistir a um filme e gostar apenas da história? Qual o problema em ouvir uma música que não é conceitual ou revolucionária? 
E agora com essa internet, o que mais temos espalhado por aí são críticos literários, de música, cinema, moda e por aí vai. Todos se sentem capazes de saírem espalhando suas blablazices por onde andam e esquecem de fazer algo simples, essencial e eficaz: divertir-se. É barato, faz bem para você mesmo e para os outros. Então, eu só quero me divertir um pouco e me deixem ser burro, por favor.

domingo, 7 de outubro de 2012

like it or not

Nunca quis ser bom, não sei quando me deram este título. Certo que um dia eu tentei agradar todos e ser alguém melhor, o problema é que eu não sou bom e logo isso se torna visível. Aceite-me como sou ou então nem chegue perto. Cansei de tentar ser alguém para receber aprovação dos outros. Goste assim ou caia fora. Não farei mais questão de ser alguém legal se eu não estiver afim. E só dessa vez, não sinto nem vontade de dançar.