Pesquisar este blog

terça-feira, 9 de agosto de 2011

Versões

E me dei conta de que em cada ambiente por que passo sou uma pessoa diferente. Sabemos que precisamos ser uma pessoa no trabalho, uma em casa, uma com parentes distantes, uma com amigos íntimos, uma com os colegas de sala, etc e tal.
Conversa vai, conversa vem e acabei ficando com a pulga atrás da orelha: quem realmente me conhece de verdade? Qual desses grupos tem a verdadeira versão de mim? Quem sou eu de verdade? E quase entrei numa crise de identidade.
Ao final de tanto pensar, eu descobri que todos esses grupos têm o verdadeiro eu, uns com mais e outros com menos detalhes, pois se eu puser todos juntos eles vão descrever a mesma pessoa. Então percebi que na realidade eu apenas me adapto a cada ambiente. Meu chefe não precisa saber o que faço na balada e os amigos da balada não precisam saber o que faço na minha casa e assim por diante. Todavia, ressalto que sempre tem aquela pessoa que conhece todas essas versões, e a essa pessoa eu dou o título de verdadeiro amigo, a família que a gente escolhe. A opinião desse verdadeiro amigo importa, e ele é quem me ajuda a dar rumo em minhas decisões, porque afinal ele conhece mais a fundo todas as versões de mim. 
Não me preocupo com a minha fama (a versão mais evidente de mim), ela repele o lixo e atrai os amigos em potencial. Dessa forma, eu só tenho conhecido pessoas extremamente importantes, interessantes e amáveis.

Qual é a versão de mim que você tem? 


Não tenho muito a dizer, apenas (me) aproveite!