Pesquisar este blog

sábado, 23 de maio de 2015

Música

Hoje vou falar do meu assunto favorito: MÚSICA!



Ué, mas eu já não falo sobre isso todas as vezes? Sim, eu falo. Desta vez o foco está na metalinguagem (não sabe o que é? Procura no Google). Vamos falar de música que falam sobre música. Confuso? Calma, dê sua mão e vem comigo.


De todas as musas e musos, problemas sentimentais ou políticos, vez ou outra os cantores prestam homenagem àquela que faz deles serem o que são: a música. Eu gosto dela tanto quanto eles, mas eles têm talento, eu não, por isso fico só ouvindo.


CANSEI DE SER SEXY



Começando lá em 2005, a banda paulistana CSS criou uma canção literalmente quente para homenageá-la em seu disco de estreia - "Music is my hot hot sex". Eles cantam que a música é seu namorado e sua namorada, que os embriaga, que é a sua droga favorita e por aí vai. Por pouco que eu não marquei em minha pele "music is my boyfriend". Sim, eu gosto muito de música.



(A banda repetiu a dose em 2010, com "Hits me like a rock". Na canção eles dizem que apesar de fazer algum tempo que ouviram aquela canção, ela ainda [trad. literal] os acerta como uma pedra.)

JOSS STONE



Em 2007, de forma um pouco mais sutil, Joss Stone declarou o seu amor por ela, no seu disco "Introducing Joss Stone". Para ficar ainda mais sensacional, ela divide os vocais com Lauryn Hill. O título não poderia ser mais explícito: "Music". Ela canta que está apaixonada por sua música, que ninguém faz o que ela faz e assim por diante. Linda demais.



MADONNA



Quem fez a sua homenagem e com o mesmo título, foi a cantora Madonna, no ano 2000. Não apenas a canção se chama "Music", mas o seu disco também. Ao contrário da doçura de Joss Stone, a bonita fez uma canção para cairmos na pista ao entoar que a música faz as pessoas se unirem e quando ela começa a tocar, [Madonna] não quer mais parar [de dançar].



KYLIE MINOGUE



Também em 2007, Kylie Minogue nos presenteou com a sua versão sexy-dançante para a musa música. A faixa é "Speakerphone", do disco "X" (dez, em algarismos romanos, coleguinhas, não pensem bobagem). Até a Madonna gostou tanto que adicionou a faixa à sua lista "Celebrity playlist" no iTunes. Kylie abriu os shows de sua X Tour com a canção que diz que a música nos faz perder o controle e atravessa o seu corpo, partindo da sua cabeça, parando na sua cintura (te fazendo dançar). Façamos como a australiana manda e deixe a música no repeat.



SMOKEY ROBINSON


Falando em sutileza, a canção "Cruisin'" de 1979 é um belo exemplo. Ela não fala exatamente sobre música, mas ela menciona que você deixe a música te dominar, pois a música é tocada para o amor. Sim, sim, ela foi regravada pela Gwyneth Paltrow e o Huey Lewis para o filme "Duets". Mas hoje vamos ficar com a versão do cantor Smokey Robinson.



BEYONCÉ



Outra cantora que rendeu sua homenagem à música foi Beyoncé, em seu disco de 2008, o "I am... Sasha Fierce". De forma mais metafórica, digamos assim, a faixa se intitula "Radio". A cantora diz que está apaixonada por seu rádio, que ele é o único que seu pai permitia ficar trancado no quarto com ela, pois ela ouvia música, é claro. Beyoncé fez a canção sobre o papel da música em sua infância até sua fase adulta, homenageando canções que fizeram parte do seu crescimento.



JULIE ANDREWS



Agora vamos voltar no tempo, para a clássica "The sound of music" de 1965. A faixa também nomeia o filme que é basicamente sobre o "poder" da música. A canção se imortalizou na voz de Julie Andrews (para a amiga que não fez a lição de casa em procurar os nomes originais dos filmes, estou falando de "A noviça rebelde"). Aliás, vocês sabiam que o filme é baseado em fatos reais? É claro que com diversas modificações/adaptações quando passado para as telonas. Podem me chamar de brega, mas eu gosto dessa música.



CHRISTINA AGUILERA



Ainda sobre voltar no tempo, em 2006, Christina Aguilera nos sugeriu entrar numa máquina do tempo e revisitar grandes clássicos da música. A canção "Back in the day", presente no disco "Back to basics", é uma homenagem aos clássicos, Aguilera cita Marvin Gaye, Etta James, Billie Holiday, entre outros, para mostrar o tempo em que, segundo ela, os que deram origem e eram inovadores, ainda estavam vivos.



Apesar de eu não ser músico, nem cantor, o sentimento é o mesmo. Música para mim é tudo, se eu fico sem, o meu dia se torna vazio, incompleto. Ainda bem que eu tenho esses cantores para musicar tudo aquilo o que eu também sinto.

Citei algumas das minhas favoritas - e também as que eu consegui lembrar dentro desse tema. Deixei alguma de fora (com certeza)? Então comenta aí.

imagens:
http://pt.wix.com/blog/wp-content/uploads/2013/06/Como-Promover-A-Sua-M%C3%BAsica-0.jpg
http://cdn.minilua.com/wp-content/uploads/2012/11/music_074603.jpg
http://en.wikipedia.org/

domingo, 17 de maio de 2015

D.I.S.C.O.



Antes de começar, aperta o play para dar o clima!



Alguns sabem e outros não, eu adoro a era Disco 70's. Meu sonho de consumo é um dia poder fazer uma festa - tipo, meu aniversário - com este tema (na parte musical), pois a caracterização teria que ser anos 80. Seria uma loucura. 

Então vamos falar um pouco de algumas das minhas favoritas? Vamos! 

Nem todas as músicas foram lançadas nos anos 70, o que importa mesmo é que fazem parte deste movimento disco (ao menos para mim). 
(Atenção: as músicas não estão em ordem de preferência, acho que vocês já perceberam que odeio fazer ranking né?!)

Vamos fazer de conta que eu sou DJ por uma noite, aqui vai o meu setlist.

I feel love - Donna Summer

Abriria a pista com esta música. Porque sim! Foi lançada em 1977, é uma orgia de sintetizadores (para a minha alegria!). Conheci a música depois de ouvir o sample usado por Madonna em "Future Lovers" durante a "Confessions Tour". É longa, então para a minha balada eu iria diminuir um pouquinho. Mas em minha vida, eu ouço os 8min. com muito amor.



I'm on fire - 5000 Volts

Depois eu jogaria esta canção de 1975 para começar a "colocar fogo" na pista. É curtinha, é divertida, é para dançar.



Knock on Wood - Amii Stewart

Foi lançada em 1979, ao que tudo indica, foi um sucesso. E eu fiquei apaixonado. Com toda a certeza viria logo em seguida para continuar o embalo. E este clipe, gente! 


Le Freak - Chic

Pausa para um clássico, momento para aquela tia lembrar a juventude e os novos irem tomar uma água (ou não). A música é de 1978 e, caso você nunca tenha ouvido, é porque você não deve ser desse planeta. Depois que eu soube que "Freak out" na realidade seria um "fuck off", porque dois integrantes foram barrados na porta do famoso Studio 54, eu amei mais. Ah, joga no google para a história completa.



Celebration - Kool & The Gang

Música lançada no fim de 1980, toda formatura, casamento ou festinha que se preze deve tocar. Clássico dos clássicos, como evitar? Foi o único hit número 1 dos caras e ficou 13 semanas no chart do Reino Unido. Uhuuuuul!



Call me - Blondie

Também dos anos 80, essa vai para agradar aquela prima roqueira. Para ela levantar um pouco da cadeira e dançar discretamente no cantinho.



Disco Inferno - The Trammps

Mais uma para agradar a tia que adorava se jogar na pista com o Travolta (e fazer a prima voltar para a cadeira). Esta é de 1976, Madonna também usou sample em "Music" na "Confessions Tour", só que esta eu já conhecia. E por falar em agradar a tia...



That's the way I like it - KC & The Sunshine Band

Esta canção foi lançada em 1975 e foi po-lê-mi-ca, sua insinuação sexual era demais para as rádios, mas era tudo para as pistas. Se você não conhece, não fale mais comigo. Brincadeirinha, dá o play e seja feliz.



We are family - Sister Sledge

De 1979 e regravada pelo extinto Fat Family (numa versão em português muito...) e também pelas Spice Girls. Momento de se abraçar na pista e chorar a juventude que ficou para trás.



I'm coming out - Diana Ross

Quem diz que "I will survive" é o hino das gay (e eu odeio), é porque nunca ouviu essa música lançada em 1980. Toda bonita que sair do armário, precisa cantar essa musiquinha para a família. E falando em armário...



I love the nightlife - Alicia Bridges

Quase caí da cadeira quando eu descobri que a vocalista é loira. Foi lançada em 1978 e ficou (mais) famosa naquele filme lá, o "Priscilla". Música que traduz minha vida, todos sabem que sou noturno e adoro uma disco! Essa música se encaminha para o fechamento do meu set como DJ.



Young hearts run free - Candi Staton

Não poderia colocar a saideira sem antes tocar essa lindeza de 1976. Adoro tudo. Sinto-me até transportado para aquela época, e eu nem vivi nela.



More, more, more - Andrea True Connection

Também de 1976, também uma vocalista loira. Eu me despediria da pista com essa música, por razões que não consigo explicar, ela me deixa em transe, realmente chego a me sentir nas pistas dos anos 70 quando ouço essa música. Chega de falar, vamos ouvir.



BÔNUS

Daí a galera gostou tanto e pediu mais uma.

Ma Baker - Boney M.

Lançada em 1977, só não chegou ao topo da parada britânica porque a Donna Summer estava lá com "I feel love". A canção fala de uma fora da lei que tocou o terror nos anos 30 nos Estados Unidos. O nome da tia era Barker, mas mudaram para Baker na hora de cantar por soar melhor.



Se a sua favorita ficou de fora, não fique triste. Conte para mim nos comentários. Até a próxima!