Pesquisar este blog

sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

Day of gray

It was not a typical trip, the sky was dark and gray as his heart. Although he was waiting for this day, when it hit him he realised he would never be prepared at all. The sky was full of rain, as his eyes and he could not prevent the tears to fall. Sometimes feeling sad, sometimes feeling afraid, sometimes just feeling. 


Then, he decided to take a walk, it was drizzling but he didn't care. There he was, staring at the sea that was pale as he could see and everything around him seemed to cry. He looked to the sky again, the same color as the sea, and thought "If it will happen to everybody, then why are we never ready when it happens to somebody so close? Why does it hurt that much? What will become of me when it happens to me?"
Why?... Why?... Why?... I will never know.


segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

O dia em que tudo deu errado

Tinha ficado acordado até 5AM terminando os trabalhos da faculdade, um deles havia enviado por e-mail, para poupar tempo. Chegando às 7h30AM na sala de aula, a professora informa que não aceita nada por e-mail, senão ela fica "perdida", já que algumas pessoas entregaram impresso. Ele corre imprimir, chegando na copiadora, o rapaz informa "seu arquivo está corrompido". Como assim?! Tudo bem, corre para outra copiadora e tudo dá certo. Ufa, um problema a menos.
Após um dia inteiro na faculdade, na última aula, descobre que a professora mais legal do planeta está indo embora. Sai correndo da aula para uma reunião, por algum motivo imbecil, pega o caminho errado e vai parar do lado oposto para onde deveria ter ido. Atrasando-se por quase uma hora. 
Pronto, descanso, agora era encontrar os amigos e ser feliz. Segue para sua casa, pois precisa terminar outro trabalho para o dia seguinte, chega em casa e... cadê a chave? Ninguém em casa. Ele só queria entrar, comer, tomar um banho, terminar seu trabalho e dormir, dormir, dormir. Mas cadê a chave?! Liga para o seu pai que informa "estamos numa festa e não vamos demorar". Mas santo pai vai até lá e leva a chave. Pronto, dentro de casa. Os planos de dormir cedo já eram, o trabalho atrasou devido ao incidente da chave e lá vai ele dormir mais de 2AM, exausto, tendo chorado feito uma criança carente e pensando se vai realmente aguentar um semestre inteiro nesse ritmo.

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

Como tudo começou

E lá estava ela indo para o Rio de Janeiro pela primeira vez. Com medo de avião, arriscou e foi de ônibus, apesar de a viagem ser longa, Madame Chá considerava mais segura. Escolheu a última poltrona, achava que não seria incomodada, pois as pessoas não gostam de sentar-se tão ao fundo. 
A cada pessoa que entrava, Chá rezava mentalmente para que não sentasse ao seu lado. Então um homem com aparência de quase 40 anos senta ao seu lado, ela pega um livro e começa a ler. 
No meio da viagem ela percebe que o rapaz a encara, ela sem nem tirar os óculos escuros, observa de canto de olho. Então fecha o livro e deposita em seu colo e então percebe os gesto insinuante que aquele homem faz para ela. Na primeira parada, Chá e o desconhecido resolvem fazer o pior, vão parar no banheiro. E a cada parada repetiam a dose. 
Semanas depois, de volta em sua casa, ela finalmente teve uma ideia, começaria a procurar mais rapazes e mais ainda, começaria a cobrar. Parecia um plano brilhante, uma vez que estava desempregada e desesperada. Teria feito a escolha certa?