Pesquisar este blog

quarta-feira, 23 de maio de 2012

Cereja, nozes e sopa

E aquele aroma de cereja e nozes o fez lembrar dos dias dourados e daquele banho quentinho. Acompanhado de uma noite "quase" fria em que uma sopa bem servida o deixou com lembranças daquele cantinho, parecia que estava provando um pedaço do dia. 
Com o seu prato ficando vazio, lembrava-se de que logo seria a hora de partir. Mas aquele sabor para sempre na sua memória, um sabor de amizade, de carinho, cumplicidade e eternidade. Um sabor indescritível que ainda é possível sentir. 
E então a lembrança de que são dias que se passaram tão depressa. Na verdade já contam um ano inteiro e a sensação é a de que foi outro dia. Risadas na madrugada daquelas pessoas na televisão, uma chuva que teimou em cair enquanto dançavam "locamente", uma vontade danada de procrastinar pela vida toda e ficar largado naquele sofá com a Loira Latina na TV e Loira Brasileira no sofá. Oportunidade única de conhecer o menino dourado, simpático, de olhos que hipnotizam. Mas ele precisava ir embora.
Vontade danada de ficar ou então levar todos com ele. Vontade de deixar a distância reduzida ao alcançar do braço, assim, simples, esticar e tocar a campanhia, a porta se abre e então aqueles dois sorrisos o recebem.
Cereja, nozes e uma sopa. Tão simples e capazes de lembranças tão complexas, fortes e duradouras. 

sexta-feira, 18 de maio de 2012

Crimson

Ao ver aquele vermelho-sangue, ela lembrou-se de que já não era mais a mesma. Quando poderia voltar a viver novamente? Quando poderia pensar em gostar de alguém novamente? Talvez fosse melhor ficar sozinha. Mas justamente quando decide viver por si só, é quando ela é abordada constantemente por outros rapazes. Alguns deles, antigamente, jamais se interessariam por ela. 
Por enquanto ela segue confusa, não sabe quando dizer a verdade ou se um dia dirá, mas não pode ser injusta com o próximo que resolver ficar ao seu lado, se ele aparecer. 
Neste momento ela saiu de cena e os vizinhos estranharam, não mais viam movimentação naquela casa estranha. Que será que havia acontecido com aquela moça misteriosa? Mistério este que todos insistem em chamar assim, porque na verdade todos já sabiam de quase tudo, mas preferiam manter em silêncio. Agora todos se perguntam: por onde anda Madame Chá? Todavia, ninguém se atreve a tocar a campanhia.

quarta-feira, 16 de maio de 2012

Sou ruim se eu quiser

Posso ser muito desagradável quando eu quero
Posso ser extremamente arrogante quando eu decido
Posso ainda ser muito mau se assim eu desejar
Porque tudo isso é minha escolha
E não a minha essência


Quem me conhece sabe que
Posso ser engraçado, mas é natural
Posso ser simpático e é espontâneo
Sou muito paciente, acredite
Mas é que você não quis ter o melhor de mim


Quando você me provoca e desrespeita, então, eu me transformo
No que eu quiser
Ou decidir
E desejar