Pesquisar este blog

quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Natal?

Estrelando: O Tarado e O Coitado
Participação Especial: O Bobinho

Eles chegam para o almoço na casa da Mãe de Todos. O Coitado faz de conta que não conhece ninguém e evita dar oi, todavia, como são educados, todos vão e cumprimentam O Coitado. Infelizmente neste encontro também está O Tarado, não sabe passar por você sem passar a mão em você e ele ainda passa cantadas baratas sem importar se você é sobrinha ou cunhada ou criança, deu mole ele come.
Havia sido estipulado para as pessoas chegarem para o almoço Natalino por volta das 11h, o almoço de fato só saiu por volta das 13h quase 14h30. Ele pensou "isso que os pratos foram trazidos prontos, imagine se tivesse que preparar na hora." Claro que essa demora deu-se ao fato de esperarem a carne toda assar e porque O Coitado estava com as mãos "trêmulas" e não aguentava mais assar. Motivo: frescura e manter a pose de coitadinho. Passou o bastão para O Bobinho, que sempre diz que vai mandar O Coitado pastar, mas na hora H sempre cede e fica amiguinho dele.
Andar pelos corredores da casa da Mãe de Todos era perigoso, você poderia topar com O Tarado e ele começar a te apalpar. Parecia pessoa da lotação, não consegue passar sem esfregar alguma coisa em você, insuportável.
O auge do almoço não podia deixar de ser por conta de O Coitado com o seu famoso inútil discurso-ode para o falecido Pai de Todos. O Coitado ganhou uma camiseta estampada com a foto do Pai de Todos e ele fez um discurso emocionado e emocionante, que até os pássaros silenciaram e os corações pararam de bater por breves segundos. Ninguém conseguiu segurar as lágrimas porque elas nem escorreram, a vontade era de rir, e novamente, como todos são educados, simplesmente baixaram a cabeça e fingiram sentir alguma coisa naquelas palavras forçadas dele.
Almoço terminado, louça lavada e agora era hora do sorvete. Pelo menos tinha variedade e pelo menos eram de marca [esnobe, eu?]. 

Missão cumprida: passaram o Natal com a Mãe de Todos e aguentaram o martírio de se deslocar até aquela região na casa onde habitava aquele Ser (O Coitado). Foram embora com a sensação de nem precisar ter ido.

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Querido Diário

Dia 23 de Dezembro de 2010.

Querido diário,
Tive que ir ao trabalho no dia 23, e eu pergunto: que trabalho? Ao entrar na sala somente eu e mais duas pessoas (também estagiários). Pode-se ouvir o bater das asas de uma mosca, mas tivemos que ir ao trabalho.
E também no dia de hoje, diário, é aniversário da morte do meu avô. Faz quatro anos e como passou rápido. Parece que foi ontem que derramei litros de lágrimas. E neste ano as lágrimas são por outros motivos, ou melhor, outro motivo. Mas não valerá à pena, pequeno diário, ficar relatando aqui.
Dia 25 eu sei que será pior, reunião familiar com familiares que não vejo há tempos. Renderá outro post, tenho certeza!
Feliz Natal, Querido Diário, nos encontraremos daqui há dois dias.

sábado, 18 de dezembro de 2010

Uninvited guest

As luzes apagadas e o silêncio. Ele só ouvia a máquina de lavar roupas ligada, mas o silêncio das vozes das pessoas em sua sala de estar era o que ele não queria ouvir.
Olhava ao redor, tudo aquilo não era mais a mesma coisa, não será mais a mesma coisa. Não será mais nada depois deste fim de semana. O silêncio.
Vozes que esperam para ver a reação dele quando o encontro acontecer.
O silêncio agora é dele, ele não consegue mais falar, não sente vontade, não quer ouvir a própria voz.

A Festa do Fim de Ano

E lá estava ele, fazendo a social na festa de fim de ano da empresa. Irônicamente chamada de "Festa na Laje". Ele imaginou "carne, cerveja, pão e maionese". Dito e feito. Tudo poderia ser pior, mas conseguiram aterrorizar quando trouxeram um Videokê. Ele não entende porque as pessoas acham graça naquilo e como que magicamente quando estão com o microfone nas mãos, as pessoas acreditam ser comediantes.
Ele sentado naquelas cadeiras de plástico e apoiado na mesa também de plástico. Ao fundo uma pessoa cantava no videokê "Essa vai para fulano hahahahaha", ninguém ria, talvez só o fulano e o "nada cantor".
Comida servida, foi só anunciar "pessoal, a carne está pronta" que não se via mais uma mesa ocupada, todos de pé se empurrando em uma fila enorme. Nessas horas ele percebe como os carnívoros são engraçados e se tornam mais selvagens na hora da refeição. Ele  esperou pacientemente a fila diminuir para servir-se do seu trivial arroz, tomate, cebola, maionese e qualquer outra coisa que não fosse algum animal morto. Neste momento, alguém teve a brilhante ideia "é festa na laje, tem que ter funk" e começou toda aquela sessão de gritaria que só o funk faz para você "dói um tapinha não dói..." e aquela [se é que podemos chamar assim] música doendo em seus ouvidos. Não contente, o cantor, ou melhor, a cantora que era dona do videokê voltou a tomar as rédeas do microfone, naquela linha "a bola é minha só eu chuto" e nos deliciar not com os seus dotes artítiscos. 
Ele olhava ao redor, a festa acontecendo no estacionamento da empresa, porque eles não tem laje ali, aquela chuva, a cerveja já havia acabado faz tempo (compraram um barrilzinho de chopp, claro que não durou muito, ainda mais com aqueles caras sem noção que pensam que a festa é só deles) e ele ali, sentado e observando o mundo animal.
Por fim ele saiu de lá mais anônimo do que entrara e menos animado também. Festas de fim de ano deveriam ser aprovadas pelo INMETRO primeiro, porque funk e videokê numa laje que não é laje e num dia de chuva, é para acabar com o Natal de qualquer um.

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

BLOGS SUMINDO?

O que será que está acontecendo hein? Fiquei preocupado ao ler a notícia. O meu blog não tem coisas de extrema importância, mas eu não gostaria de perdê-lo. Faça backup do seu blog também.

Saiba mais clicando aqui.

Agradeço ao blog http://marciaprios.blogspot.com/ que me enviou a newsletter avisando sobre o caso.

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

¡Tú eres mi gordito!

"You are the drum in my heartbeat"
Nós temos listras!

Dança na chuva

E quem disse que a gente não dança frevo aqui no Sul?! É só andar em dia de chuva com os seus guarda-chuvas abertos pelas calçadas estreitas.
E tem até coreografia:
Passo 01: levanta o guarda-chuva para a moça passar por baixo.
Passo 02: agora vira o guarda-chuva para a esquerda para não esbarrar no vizinho da direita.
Passo 03: dá um pulinho para evitar a poça!
Passo 04: presta atenção que esse é difícil, exige agilidade. Põe o guarda-chuva na frente do seu corpo para se proteger daquele banho porque o carro passou correndo em cima daquela poça, e agora corre para colocar o guarda-chuva de volta e proteger a cabeça da chuva. E não pode se molhar.
Opa, esbarrou no guarda-chuva do vizinho, assim não pode! Prepara, vamos repetir desde o passo 01... é um, é dois, é um, dois, três, vai!

image source: uskidsmags.com

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Questionamentos

Quando ele para "pra" pensar, percebe que talvez não seja isso o que ele quer, não com tanta força. Por diversas vezes ele pensa em desistir, ainda mais que ele tem encontrado mais problemas do que soluções. O que piora tudo é que existem muitos "ses" e todos os seus atos para o próximo ano dependem desses infinitos "ses". "Se" ele conseguir isso, "se" acontecer aquilo, e assim por diante.
Ainda tem algo mais agravante, todos esses "ses" podem não acontecer, e então, tudo estará perdido. O tempo é curto e os impedimentos são maiores do que o tempo disponível para resolvê-los. 
Talvez a hora não seja esta, talvez o momento não seja este, talvez o modo não seja este. Por mais que ele consiga fazer tudo o que planejou por aqui, o que ele fará quando chegar lá? Não basta só ficar pensando nas possibilidades de quando chegar lá, porque se algo der errado, tudo o que foi feito aqui terá sido em vão.

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Vem chegando o Natal

E o Natal está quase aí. Aquele espírito de bondade e compaixão invade todo o ser humano, e nessa época ninguém chuta cachorro pela rua, ninguém xinga o motorista à sua frente e todos resolvem juntar a família naquele jantar especial, regado a muita ave assada e o típico gado na churrasqueira. Tudo muito normal, a não ser quando essa família que resolve se juntar é daquele tipo que só se encontra em velório ou nascimento e olhe lá!
Passam o ano todo sem olhar um na cara do outro e no dia 24 ou 25 resolvem dar as mãos e cantar “Bate o sino pequenino, sino de Belém”. É um espírito de comunhão tão forte, que o pessoal dessa família resolveu utilizar um método nada “partilhável”. Eis que cada família leva o seu, é quase uma festa em churrasqueiras alugadas de clube, várias famílias, mas cada uma no seu quadrado. Esquisito, o objetivo é unir, mas na hora de comer é cada um por si. Sem maiores discussões ou reflexões sobre o assunto, vou encerrando por aqui. Mesmo sendo ultrapassado, eu sempre fico a me perguntar “Então é Natal e o que você fez?”. Ele acha que fez muita coisa errada para merecer um fim de ano com uma tribo tão individualista feito esta em que está inserido.

“Então é Natal [...] num só coração”, mas aquela linguiça ali é minha!

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Confirmooooooooooou!

Eu venho morrendo muitas vezes, mais precisamenta, a cada notícia sobre a vinda da Shakira ao Brasil em 2011. E está lá, no site oficial, que ela vem mesmo!

Ainda não há datas para os shows no Brasil. Ai meu coração.. tive a jornada Madonna e agora é a jornada Shakira. Amém!

 "Soy loca con mi tigre, loca, loca, loca!"
Image from: www4.pictures.zimbio.com

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Com chave de Ouro

Valeu aí Papai do Céu, por finalizar o meu ano com tantas surpresas boas not
Vê se ano que vem me traga notícias ruins, porque as desse ano não deram muita graça!
image source: http://www.aalmaperdida.kit.net/

"Eu Leio, Eu Conto" sorteia

Mais um super sorteio do Blog "Eu Leio, Eu conto". Quer participar? CLIQUE AQUI e siga as regras direitinho e boa sorte!


O sorteio será no dia 15/12! Corre que ainda dá tempo de participar.

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

A Ceia que já veio azeda!

Tudo lindo e planejado para as Festas do Fim de Ano, ou quase. Mas como nem tudo o que reluz é ouro, e quando tudo parece perfeito tem que acontecer algo para estragar, eis que a Senhora Litorânea resolve passar as Festas na cidade.
Até aí tudo bem. Afinal, seria legar ter a senhorinha mãe de todos por perto. O ruim é que ela tem residência na cidade na casa onde mora o Predileto. Outro problema, o Predileto só é predileto da Senhora Litorânea, o restante dos membros dessa matilha quer distância dele.
Quem essa Senhora Litorânea pensa que é para, em cima da hora, mudar de planos e mudar o plano de todos aqui da cidade?
Ele recusa-se a passar a Festa de Natal junto com o Predileto. Ele ainda prefere passar abraçado com uma folha de alface do que com o Predileto.
Acredito ainda que essa novela ainda terá muitos capítulos. Será um chororô aqui, outro ali, sou coitadinho daqui e vamos pensar na nossa mãezinha dali... vamos aguardar!

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Tudo acontece no dia 04

Vida de pobre é assim, nunca tem eventos sociais e quando aparece um aparecem vários. Com ele não foi diferente. Há meses que está marcada a festa do dia 04. Praticamente seis meses. E nesse período nenhum evento social caiu no colo dele e tudo seguiu numa boa, a vida rumando o seu curso natural: casa > trabalho > faculdade > casa e nos fins de semana quarto > sala > cozinha.
Tudo certo e aguardando a chegada do dia 04 até que ele recebe:
- Convite para uma festa à fantasia.
- Convite para um espetáculo de dança.
- Convite para uma festa de aniversário.
- Convite para uma festinha familiar.
Adivinhem só: todos para o dia 04!

Viva a Lady Murphy.